Pular para o conteúdo principal

Modo noturno

Esta última semana foi realmente cercada pelo inesperado. Os eventos me levantar a ficar acordado até mais tarde quase toda a semana, fato que afetou minha “vontade” para levantar da cama às cinco da manhã para treinar. Assim, o jeito foi improvisar e tentar treinar durante a noite. Apesar de considerar o horário inadequado pela multidão que toma o calçadão, pela poluição do trânsito, além de me deixar acordado mais tempo que o necessário. Fora isso, posso dizer que não enfreitei dificuldades de desempenho, ou a tal fatiga do final do dia. Talvez a corrida tenha se tornado realmente uma fuga para este estresse desmedido que vivemos em alguns momentos de nossas vidas, além do simples prazer por correr. Único ponto negativo foi não ter corrido o longão hoje e tamparei o buraco com uma corrida moderada amanhã cedo.
O modo noturno continuará esta semana, para tentar acertar o horário antes do final da semana.
Concluindo o clipping da Revista O2 de abril #96
CORRA PARA FLORIPA é mais que um guia para a Meia Maratona de Florianópolis. É uma referência para quem deseja debutar - como eu - em provas de 21K. Deixarei registrado aqui alguns fatos relevantes para consulta futura:
  • Avalie o clima. Se você conseguiu cumprir com sua planilha de treino e se considera apto para concluir a prova dentro de um tempo estimado, lembre-se que a temperatura pode e será o diferencial. Acima de 25ºC nosso desempenho cai sensivelmente, então esteja pronto para replanejar sua meta para evitar frustração ou tentar fazer além do que você pode.
  • Frio demais também atrapalha. Se você não quer jogar um lindo casaco fora, ou não tiver como entregar para alguém após os primeiros quilômetros, faça um casado com uma sacola plástica grande o suficiente para lhe manter aquecido, enquanto aguarda a largada.
  • Aquecimento é tudo. Aquecer é mais do que preparar o corpo para uma prova. É preparar a mente. É reduzir a ansiedade. Um aquecimento para soltar a musculatura, ou para simular - por poucos instantes - o ritmo da prova é uma forma interessante de recuperar o foco e lembrar que você ensaiou por semanas para estar ali naquele momento para fazer algo factível.
  • Se você estima terminar a prova acima de duas horas, recomenda-se ingerir algum repositor energético após quarenta minutos e uma segunda vez após uma hora e trinta de prova.
  • Comidas pesadas e proteínas. A três dias da prova, reduza a ingestão de proteínas, leite e derivados e dê preferência a carboidratos a fim de garantir sua reserva de glicogênio.
  • Na quinzena que antecede a prova, remova os treinos de qualidade e velocidade. Treinos leves e um longão no domingo anterior é mais que o suficiente para deixar o corpo pronto para a prova.

A revista apresenta até uma planilha com quatro treinos e musculação duas vezes na semana. Uma boa referência para quem não conta com uma assessoria esportiva. Mas vale lembrar que tudo isso só lhe ajudará se você se preparar bem para a prova, senão as chances de quebrar antes do final aumentam sensivelmente.
A matéria COM OS PÉS LIVRES foi oportuna para tratar de uma nova onde que invade o mundo dos corredores. Os tênis minimalistas são antagônigos a tudo o que nos acostumamos a usar nas últimas duas décadas, mas migrar dos tênis atuais para eles não é algo tão simples. A transição pode não ser muito simples, pois alterará absurdamente a pisada. O assunto é extenso e os dois lados possuem verdades e polêmicas. É uma matéria introdutória bastente interessante, caso você tenha interesse em conhecer mais sobre o assunto.
A CORRIDA IMPOSSÍVEL fala sobre o livro Endurance de Caroline Alexander. Zé Augusto de Aguiar faz uma ótima resenha sobre a aventura de um homem e seus seguidores ao Polo Sul. Não um, nem duas vezes. A história que começou como uma aventura se transformou em uma dramática história de resgate.
Você já se imaginou correndo uma maratona? E que tal 61 vezes a mesma? ENCARNAÇÃO DE BOSTON conta a história do homem que realizou esta proeza.
Enfim, a revista abordou diferentes temas, tornando-a muito rica em vários aspectos. Parabéns a O2.

Comentários

  1. Estou me preparando para minha segunda meia e é sempre bom ler dicas sobre esse tipo de prova. Musculação é chato, mas fundamental.

    Boas Corridas!!

    Alessandro
    http://blog42195.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. @Alessandro
    Opa! Qual será a próxima? Em relação a musculação eu ainda estou tentando compensar minha falta de motiviação em ir à academia com exercícios funcionais. Porém, não estou sendo muito disciplinado com eles. Arrumar um quarto dia na semana tá sendo bem difícil. Já estou pensando em separar uma meia hora antes - ou depois - dos treinos para fazer os específicos.
    Abraço e boas passadas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…