Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Haile Gebrselassie: corrida e asma!

Pasmem. Haile Gebrselassie, vencedor da Maratona de Berlin em quatro oportunidades, estabeleceu o recorde mundial da maratona em 2007 e 2008 possui asma. Por conta dela já perdeu algumas provas, mas isso não lhe segurou. Seguiu sua carreira bem sucedida baseado em muita disciplina (com asma principalmente) e força de vontade.

Estou escrevendo isso para você que é asmático como eu não se entregar a esta acompanhante indesejada. Segundo matéria publicada Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, a asma não possui cura, mas existe tratamento. Estima-se que 300 milhões de pessoa no mundo sofram de asma e no Brasil algo em torno de 20 milhões. Apesar das ações do governo, fornecendo tratamento gratuito para população de alto risco, infelizmente menos de 1/3 tem acesso ao tratamento e vive em condições aquém do ideal. Assim, escrevo para você na esperança desta informação lhe ser útil, ou que possibilite auxiliar alguém próximo. Abaixo deixo o link para a matéria que explica em detal…

90 dias: avaliando a evolução

O corpo é realmente uma máquina fantástica. Há 90 dias quando retomei os treinos, a corrida leve (dentro da zona de esforço correta) só era possível num ritmo de aproximadamente 9'/km (perto de 6 km/h). No último treino desta semana sustentei um regenerativo de 40 minutos com o ritmo perto de 7,30"/km (pouco mais de 8 km/h), algo impensável em abril. Vamos ver como o corpo responderá aos intervalados e a evolução da velocidade das minhas passadas.
Acompanhar os registros também é uma forma de buscar motivação. Ver o calendário todo marcado de treinos realizados é reflexo de uma disciplina e dedicação diferenciadas.

#maratonadorio #relive #strava #redessociais

Neste ano afastado da corrida muita coisa nova apareceu para deixar os já apaixonados por este esporte mais aficionados. Vou começar pelo relive, trata-se de um aplicativo que pega as informações do Garmin Connect, Strava, ou do Polar Flow e faz um registro animado do seu treino. Muito legal o aplicativo. Um jeito novo de acompanhar nossas conquistas.
O segundo app é o Strava. Este parece ter se tornado a mídia social dos esportistas, reunindo corredores, ciclistas e triatletas. Como me cadastrei há poucos dias, ainda não tenho muito o que falar sobre o assunto.
O terceiro assunto merece um parágrafo a parte. A Maratona do Rio continua sendo o evento do ano (para nós esportistas) aqui na cidade, ainda mais por ela permanecer com uma prova de 21K como parte da atração. As inscrições para a prova do ano que vem já estão abertas e possivelmente irá esgotar antes do final do mês. É uma prova de qualidade invejável e dá ao corredor passagem maravilhosa orla carioca.Vou terminar com uma cur…

Niterói a 15 graus, coisa rara para o corredor fluminense

Segundo especialistas se temperatura estiver entre 10 e 15 graus o corredor poderá desenvolver sua melhor corrida (mais detalhes na reportagem do Eu Atleta clicando aqui). Como vocês sabem, o Rio de Janeiro (e arredores) primam pelas altas temperaturas. Assim, amanhecer um dia com a temperatura na casa dos 13 graus é algo raro e inusitado. Foi assim que saí hoje para treinar, enquanto a maioria esmagadora dos cariocas se entrincheirava debaixo de seus cobertores. Este lance de temperatura é tão incrível que preciso compartilhar uns números com você. Durante os 3 treinos desta semana tive tiros fortes, variando apenas na duração. No treino da quarta os tiros tive 4 tiros de 3 minutos. Na sexta 5 tiros de 400 metros (mais ou menos 2 minutos) e hoje cedo tiros de 2 km (algo perto de 11 minutos). Os treinos da quarta e sexta a temperatura estava em torno dos 24 graus e como o tempo de esforço foi muito próximo, o pace também não foi muito diferente. O treino de hoje tinha tudo para ter um …

Meu Garmin não sincroniza(va) com os satélites

Hoje vou contar como quase condenei meu parceiro preferido de treinos. Como comentei nos últimos posts, fiquei bastante tempo parado e recomeçar não foi fácil. Não posso dizer que a amnésia foi completa, mas perdi o jeito da coisa. O primeiro obstáculo foi meu Garmin FR 610, que não queria mais saber de sincronizar o GPS com os satélites. Não que eu seja um completo neurótico com números, mas acompanho a quilometragem dos meus tênis a partir do registro dos treinos. O motivo? Em 2011 tive uma bursite no quadril (leia clicando aqui), mal que não desejo a ninguém. As teorias para o desenvolvimento da lesão são poucas, mas dentre elas estão a perda de amortecimento do tênis e o excesso de esforço no semestre. A primeira tese depende de controle sobre o equipamento e a segunda de bom senso. Como não darei chance para empolgação novamente, voltemos as atenções para primeira teoria e a importância do GPS do meu Garmin nela.
Sem GPS, sem quilometragem. Tentei até me virar com um aplicativo no …