Pular para o conteúdo principal

Apagão

Era para ser mais um dia contagiante como muitos outros quando eu me estiquei rapidamente para desligar o despertador, que me avisava que eram cinco da manhã. Olhei para o lado, vi minha esposa dormindo e em seguida olhei para a janela para fitar as estrela e as luzes nas casas no morro. Naqueles breves momentos de introspecção percebi que havia perdido alguma coisa e que um cansaço sem tamanho havia me possuído. Então eu simplesmente me ajeitei na cama, me cobri e voltei a dormir.
Três semanas se passaram, ou melhor, dez dias treinos se passaram e eu simplesmente havia perdido toda a disposição para colocar o tênis e sair asfalto a fora. Em meio ao cotidiano, que preciso confessar ter consumido ainda mais que o de sempre da minha energia, procurei entender o que estava ocorrendo comigo. Dias se passaram, mas eu não lutava mais para levantar. Pelo contrário, pensava apenas em descansar. Devaneios a parte pensei que por ter cumprido com as metas para este ano, a motivação se esvaiu. Pensei também no quanto foi intenso os últimos meses com tantas meias maratonas, mas a verdade é que alguma coisa desligou dentro de mim e nem as revistas tenho lido.
Demorei tanto a atualizar o blog, pois não havia assunto. Um vácuo foi criado no lugar do espaço dedicado a corrida. Parece loucura, mas foi real. Hoje é o primeiro dia que me puz a falar desta experiência no mínimo estranha. Li algumas coisas sobre burnout e ainda achei uma reportagem no site da O2 por minuto que talvez possa explicar o ocorrido, mas a reportagem na Runners foi mais incisiva. Vale a leitura.
Espero reencontrá-los em breve nas ruas.
Boas passadas.
Links relacionados:
  • http://o2porminuto.uol.com.br/scripts/materia/materia_det.asp?idMateria=5266&idCanal=5
  • http://runnersworld.abril.com.br/noticias/estresse-hipertensao-233708_p.shtml

Comentários

  1. Cara, estou passando exatamente por isso!

    Vou ler as matérias sugeridas...

    Obrigado!!

    Fábio
    www.42afrente@blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigado mais uma vez pela visita, Fábio.
    Acontece realmente com muita gente, por isso tantas matérios disponíveis sobre o assunto.
    Nesta hora é que o treino em equipe faz a diferença. Que apoio de um técnico faz a diferença no quesito motivação. Principalmente quando cumprimos com as metas antes do prazo. A força mental para manter a rotina e a intensidade foi maior do que eu fui capaz de sustentar. As mazelas mentais são as mais complexas de serem resolvidas.
    Esta foi a primeira grande parada desde março do ano passado. Mas estou vendo que em breve retornarei, pois já estou colocando o sono e o horário para dormir em dia. É descansar e num dia qualquer colocar o tênis novamente e ver no que vai dar. Se o bicho da corrida ainda estiver vivo, basta redefinir as metas e planejar um novo macrociclo.
    Boas passadas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…