Pular para o conteúdo principal

Teias e aranhas

Ultimamente, as necessidades da mente têm prevalecido sobre as do corpo, mas fico feliz que eu tenha desenvolvido preparo físico para aguentar esta fase.
O encontro com os amigos têm ajudado a manter a ansiedade sobre controle, já que nem as revistas tenho lido ultimamente. Aos amigos blogueiros, minhas desculpas pelo sumiço, mas volto em breve.
Outro dia olhei para o canto do armário e fitei meu Kayano por algum tempo, imaginando se daqui a pouco uma aranha faria dele um ninho.
Saudade do tênis.
Boas passadas!

Comentários

  1. Você tá com alguma lesão, cara?
    André, venho aqui reclamar de uma dica sua.
    Comprei no dia 5 de janeiro um asics nimbus 15 e o amortecimento dele(devo ter rodado uns 800km nesse período) acabou há alguns dias.
    Seis míseros meses!!!
    Os mizunos que eu tinha tive duravam o dobro do tempo e consequentemente de Km.
    Gel agora, cara, só para cabelo.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zé.
      Obrigado pela visita e por "chegar chegando". Mas brigar com este humilde blogueiro, que não é profissional nem expert? Lamento por sua frustrante experiência, mas lamento mesmo. Neste quatro anos de tênis posso lhe afirmar com muita convicção que a corrida de rua não é uma ciência exata. Veja quantos modelos de tênis cada fabricante possue para que tentemos encontrar um par de tênis para chamarmos de alma gêmea!

      A situação é tão complexa que a frustração que você experimentou com a Asics eu experimentei com a Mizuno! Se você procurar pelos meus primeiros post encontrará alguns posts sobre minha novela com um Mizuno. Mas longe de me defender, preciso lhe expressar (de forma mais explicita) o motivo pelo qual eu adotei o Asics:
      1. Em primeiro lugar, conforto. Nada como você calçar um tênis e sentir muito bem com ele, a ponte de querer correr e não parar mais.
      2. Medo de lesões. Um cara, como eu, com quase dois metros e beirando 100 kg, dei prioridade ao amortecimento.
      3. A durabilidade sempre esteve em segundo plano, mas acabou acontecendo com o Kayano, tanto que estou indo para o meu quarto! Antes dele, tentei o Cumulus, que durou bem menos.
      4. Meu "laboratório" era totalmente antagônico a sua realidade. Minha pisada é pronada leve e meu peso acima de 90 kg. Fiquei curioso para saber onde você se esmerou para fazer a aquisição do Nimbus.

      Não suma. Este espaço é para tentarmos entender um pouco mais nosso universo.

      Boas passadas!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Oi, Zé.
      Faltou lhe responder outra pergunta! Não, não me lesionei. Foi a vida e os obstáculos que me afastara um pouco do asfalto e do blog inclusive. Mas como já foi dito por aí, o importante ao cair é saber levantar.
      E vamos que vamos.
      Boas passadas!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…