Pular para o conteúdo principal

Semana trilegal

Em agosto do ano passado li uma matéria super interessante no site da Runners World Brasil. Ela sugeria para os “sem tempo” (como eu) um plano de treino que se dividiria em três dias da semana. Até então eu achava que fazia o suficiente para me manter em forma, mas a revista Runners World Brasil de fevereiro me mostrou que eu não estava tão longe do treino ideal. A planilha de treinamento para 10 Km apresentou uma semana com três dias de treino acompanhados de outros dois dias com musculação para fortalecimento. Foi bom ter certeza de que o caminho que está sendo trilhado é o correto. Meu desafio será arrumar tempo para musculação ou exercícios funcionais (como pular corda e subir escadas) nesta vida corrida de muito trabalho e pouco tempo livre. Talvez estas sejam a minha alternativa de curto prazo para cumprir com o reforço muscular. Mas certo mesmo seria incluir um quarto dia de treino para poder realizar mais treinos de qualidade dentro dos ciclos.

Viciados. Na coluna Oxigêno, Mário Sérgio Andrade Silva expressou sua preocupação pelo uso excessivo da tecnologia por parte dos corredores. Sabemos que o corpo fala e grita quando passamos do limite, mas os iniciantes (como eu fui) ainda não desenvolveram um feeling para não sobre carregar o corpo em demasia no momento errado e comprometer um treino ou mesmo uma prova.
Símbolo sagrado. Marcos Paulo Reis escreveu um protesto e faço coro com ele em relação a distribuição de medalhas antes da prova. A medalha precisa ser vista como uma premiação para quem completou o desafio. A lembrança de um desafio vencido com muito suor e dedicação, ao invés de uma mera recordação de uma viagem para São Paulo.
Novo de novo. É um verdadeiro dossiê sobre recuperação após esforço. A matéria fala sobre recondicionamento com treinos leves, com interrupção total da atividade, massagens, crioterapia e alongamento para recuperação dos músculos cansados de treinos e provas. Fala do que comer antes, durante e depois na recuperação da musculatura.
Leis do asfalto. A seção resolveu reunir 10 coisas que você não pode esquecer para superar seu recorde pessoal em uma prova. O primeiro item é sua playlist para lhe garantir aquele motivação extra. Depois vem a preocupação com o o piso da corrida, que se for plano e com poucos inscritos facilitará. Deixar tudo pronto na véspera para não perder o foco (a prova) por causa da correria para ir ao evento. Outro ponto importante é com relação ao clima, pois se o tempo não ajudar, esqueça, pois o calor pode ser o vilão que destruirá seus planos de melhor o recorde pessoal. Treinar nas mesmas condições a prova para que o corpo esteja preparado para o dia do evento. Ensair mentalmente a corrida, ter check points para controlar o ritmo e perseguir seu RP também é uma ótima estratégia. Treinar forte os intervalados nas semanas anteriores a prova. Isso lhe garantirá um bom ritmo para prova. O tênis também pode pesar, assim é preciso avaliá-lo para não estar sendo retardado por um tênis velho e que não lhe garante o conforto necessário.
Ótima solução para controlar os treinos.
Time de rua. Depois de adotar o RunKeeper como minha solução para registrar os treinos, espalhei a novidade com os amigos. André e Arthur foram os primeiros a usufruirem desta solução criada para smartphones. Desta forma eles poderão controlar a distância dos treinos e a evolução do pace. Ficou o alerta para a ausência de um monitor cardíaco, mas eles têm noção e em breve estarão municiados do equipamento, primordial para evolução dos treinos e para própria segurança.

Bons artigos:
Runkeeper: http://blogdoiphone.com/2011/01/runkeeper-pro-transforma-seu-iphone-em-um-personal-trainer/
Semana trilegal: http://runnersworld.abril.com.br/materias/trilegal/
Vi e gostei
Criatividade realmente é tudo. Este vídeo compara a tecnologia de dois tênis.

Comentários

  1. Olá andré, muito legal seu post e o eu curti o video! Bom início de semana!
    \o/ eee Simbora correr
    Bons Treinos
    Boas energias
    @marlipalugan
    www.marlipalugan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo retorno, Marli. Mais que escrever, gosto de discutir sobre os temas que acabo abordando!
    Em relação ao seu tênis é incrível como reagimos de forma tão diferentes aos tênis. Meu primeiro foi um Mizuno, depois comprei um Asics (o melhor até agora) e hoje treino com um Adidas (promoção no dia de resgatar o Kit da Adidas Primavera). É bem possível que eu retorno para o Asics quando este findar.
    Grande beijo e boas passadas!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Kayano 20 NYC

Segundo o Garmin Connect foram 771 km corridos em 105 treinos. Foi assim que larguei o aço no meu antigo Asics Kayano 20. Gostei tanto dele que dei um jeito de encontrar seu irmão siamês, criado exclusivamente para homenagear a Maratona de Nova Iorque de 2013. Após o cancelamento da prova em 2012, o retorno de uma das mais tradicionais provas de rua precisava ser cheia de pompa. E a Asics não brincou em serviço. Além de muito bonito, o tênis tem tudo o que preciso para continuar evoluindo até outubro: estabilidade e conforto.
Muito já foi dito sobre a importância (ou não) do tênis na vida de um corredor. Eu sou do time que acredita que um bom tênis faz a diferença, tanto que hoje eu aceito usar qualquer tênis para correr desde que seja o Asics Kayano. Dentre minhas teorias eu acredito que ele seja o tênis mais eficaz para corredores de pisada pronada e que pesem mais de 90 kg. Como já mencionei em outros posts sobre tênis, já tentei utilizar outros modelos sem muito sucesso. Alguns aca…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…