Pular para o conteúdo principal

O dono da bola

Na época da escola, a hora do recreio era um dos momentos mais esperados. O terceiro tempo parecia que nunca iria acabar e a vontade de jogar bola tornava a carteira de madeira ainda mais desconfortável e a voz do professor se perdia em meio as possíveis escalações para os times que iriam começar e os times que ficariam na "de fora".
Tic tac tic tac e como se nossas vidas dependessem disso, corríamos ao toque da sirene para a quadra. Vinha o par ou ímpar e os times eram escolhidos, mas naquele dia havia algo diferente. Quando vimos quem trouxe a bola do jogo, um suspiro coletivo aconteceu. Ah! Era o Marquinhos (nome fictício, ok?) abraçado a bola dele. Sabíamos que ele teria que jogar todo o recreio, caso contrário nada de futebol.
Os craques da turma se entreolharam e depois de discutirem, chegaram a um acordo. Marquinhos jogaria um pouco em cada time. E assim foi. Se você só tem limão, que se faça uma limonada.
Contei esta história, pois é assim que estou enxergando a situação criada desde a publicação do decreto 37157 de 15 de maio de 2013. Apesar das corridas de rua no Aterro terem se tornado uma tradição e o planejamento de muitos corredores ser feito visando correr uma destas provas, isso não comoveu o poder público na tomada de sua decisão. Excepcionalmente, por conta da Copa das Confederações e da Jornada Mundial da Juventude, tivemos o calendário de junho e julho destroçado aqui no Rio, salvo nos dias 7 (Maratona do Rio) e 14 de julho, que amontoará algumas provas. Não teremos provas na melhor época do ano para se alcançar recordes pessoais, ou usufruir da baixa temperatura. É frustrante.
Não quero entrar no mérito empresarial da coisa e o impacto desta ação sobre as empresas que sobrevivem destes eventos, mas fato é que os eventos que motivaram o decreto estão anunciados há anos! Então caberia ao poder executivo planejar ações que permitissem acontecer estes eventos, sem comprometer o cotidiano do cidadão. A decisão tomada pelo poder público e seus motivos seguem abaixo para sua reflexão, mas a resolução foram provas em horários descabidos, ou em datas antes nunca sonhadas.
Li em algum lugar que éramos todos iguais perante o estado, mas acho que o interesse de outros (espero que a maioria) prevaleceu sobre o contingente que lota há anos o Aterro do Flamengo nos finais de semana do inverno carioca e praticamente em todo resto do ano.


Decreto nº. 37157 de 15 de maio de 2013

Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro - 16/04/2013
Dispõe sobre a autorização para realização de eventos na Cidade do Rio de Janeiro, bem como sobre a interrupção de obras e reparos programados em logradouros públicos, nos períodos que menciona, e dá outras providências.
O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor e
CONSIDERANDO a realização da Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 no período de 15 a 30 de junho, com partidas marcadas para a Cidade do Rio de Janeiro nos dias 16, 20 e 30 de junho de 2013.
CONSIDERANDO a realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no período de 23 a 28 de julho de 2013, na Cidade do Rio de Janeiro.
CONSIDERANDO que estão previstos inúmeros eventos, oficiais e extraoficiais, antes, durante e depois da Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 e da Jornada Mundial da Juventude - JMJ;
CONSIDERANDO o trânsito da Cidade, já saturado, em função de sua frota de mais de dois milhões e meio de veículos, não comporta o fechamento de vias ou obstruções temporárias para receber os milhares de torcedores que acompanharão os jogos da Copa das Confederações FIFA Brasil 2013, assim como os milhões de jovens que são esperados para a JMJ, além das comitivas das autoridades públicas e eclesiásticas;
CONSIDERANDO a necessidade de centralizar a coordenação de realização dos eventos que ocorrerão na Cidade do Rio de Janeiro nos referidos períodos;
CONSIDERANDO que a realização desses eventos implicará em um aumento natural do fluxo de veículos e pessoas nas vias públicas;
CONSIDERANDO que nesse período as obras e reparos programados em logradouros públicos causariam sérios transtornos ao movimento do público em geral;

DECRETA:
Art. 1º. Ficam revogadas todas as autorizações concedidas para a realização de eventos na Cidade do Rio de Janeiro, nos períodos de 24 de maio a 05 de julho e 16 de julho a 01 de agosto de 2013, correspondentes a Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 e a Jornada Mundial da Juventude - JMJ, respectivamente.
Parágrafo único. Os pedidos de autorização para realização de eventos que já tenham sido deferidos, bem como todo e qualquer novo pedido de autorização, deverão ser encaminhados à Secretaria Municipal de Ordem Pública - SEOP, que, sem prejuízo das exigências estabelecidas pela legislação em vigor, deverá ainda solicitar parecer à Secretaria Especial de Turismo - SETUR acerca da conveniência e oportunidade de realização do evento nos períodos definidos no caput.
Art. 2º. Todas as obras e reparos programados em logradouros públicos deverão ser interrompidos pelos períodos de 10 de junho a 30 de junho de 2013 e 13 de julho a 01 de agosto de 2013.
§1º. Em casos excepcionais, devidamente justificados, e a critério do Presidente da SC/COR, poderão ser toleradas obras e reparos programados dentro do período acima especificado.
§2º. As licenças com prazo em vigor, que forem afetadas pelo disposto no artigo anterior, serão automaticamente prorrogadas por igual número de dias, a partir da data da liberação das obras.
Art. 3º. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.
Rio de Janeiro, 15 de maio de 2013; 449.º ano da fundação da Cidade.
EDUARDO PAES

Fonte: http://www.ademi.org.br/article.php3?id_article=53556

Comentários

  1. É realmente uma pena. O período de julho é para nós cariocas que sempre corremos em altas temperaturas, um "refresco"e como foi dito, um momento bom para se conseguir melhores tempos nss corridas oficiais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcia,
      É muito frustrante ver o planejamento ser jogado para o alto. Não dava para deixar passar em branco uma virada de mesas dessa.
      Bom te ver por aqui. Obrigado pela homenagem.
      Abs

      Excluir
  2. Sofrido para nós cariocas e sofrível para os que planejam viagem para correr na cidade Maravilhosa. Ainda bem que a data da Maratona não foi alterada, o estrago seria ainda pior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O estrago não foi maior para nós, Drica. Tenho amigas inscritas na Vênus e a Adidas e as provas acontecerão no menos dia (14/7), sendo a Vênus na parte da manhã e a Adidas na parte da tarde. Consegue imaginar uma largadas às três da tarde?
      Só com endorfina na veia e sabendo fazer uma bela limonada para não se irritar com estas coisas.

      Excluir
  3. É realmente uma pena, André.
    Agora entendi essa largada às três da tarde. Imagina você a organização da prova ao receber a ordem, depois de, inclusive, já ter divulgado a data em que ocorreria a prova. Aí inventam o tal do sunset edition. Não colou. Que lástima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SUNSET EDITION é a limonada, minha amiga.
      Imagine o impacto financeiro sobre as operações da O2? Quem não se inscreveu (como eu), em sã consciência não vai sair para correr às três da tarde.
      Adoro a Adidas, mas neste horário... nem sei se meu corpo responde neste horário kkk

      Excluir
  4. Mais um exemplo (dos muitos que temos visto referente aos "grandes eventos") de falta de planejamento das autoridades (in)competentes.

    É uma pena que o calendário esportivo da uma cidade tão importante como o Rio (certamente referência nacional nos esportes) seja "sacrificado" por não ter se pensado uma solução ao longo de todo esse tempo (como você bem disse, há anos já sabíamos das datas desses eventos).

    Abraços e bons treinos.
    Brunno - http://movidoaendorfina.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há mais o que criticar.
      Vou fazer o seguinte. Vou ficar que estamos no face e simplesmente CURTIR o seu comentário.
      Obrigado pela visita.
      Boas passadas!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

Do jeito que dá

A crise realmente chegou para todos. Da mesma forma que Lelo Apovian relata (na matéria A corrida não pode parar, publicada recentemente no site da Runners World Brasil) que a vida não está fácil para quem vive da corrida, não está fácil para nós que desafiamos o orçamento do mês para encaixar eventualmente acessórios e inscrições nas despesas mensais. É preciso se planejar e saber quanto é quando gastar. Nestas horas relembro de informações cortadas nestes anos de corrida. Uma que se aplica bem a este momento foi dita pelo nosso melhor maratonista (na minha humilde opinião) de todos os tempos. Vanderlei disse que se preparava para participar em alto nível de suas provas em média num ano. Particularmente algo sensato até para nós amadores, já que a maioria das planilhas treino (genética ou não), sugerem oito semanas de treino para um prova. Além de bom adequado, fisiologicamente dizendo, faz bem para o bolso nos dias atuais. Muitas organizações sabendo que as pessoas serão mais criteri…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…