Pular para o conteúdo principal

3%

Mais um ano se passa e o tempo, ou melhor, gerenciá-lo vem se tornando o maior dos desafios. Gerenciar tempo é fazer opções, escolher fazer algumas coisas e abrir mão de outras. É causa e efeito se tornando cada dia mais palpáveis, presentes e imutáveis. O que foi feito, foi feito. Não tem volta. É virar a página e seguir em frente, pois viver preso ao passado é não viver novos momentos e experiências. Mas nossa percepção sobre o tempo muda com o passar dos anos. Quando novos confiamos no amanhã, mas o tempo trás outra percepção do tempo. Hoje não vejo apenas o dia, mas os seis que o seguem para conseguir organizar a rotina de trabalho, casa, estudos, treinos, família, amigos e lazer. É claro que a conta é injusta, pois algumas coisas são inevitáveis e algo sempre fica de fora ou por compensar no próximo ciclo.
Eu me dei ao trabalho de distribuir todas as minhas horas de uma semana em uma planilha com os seguintes itens: descanso, transporte, trabalho, estudo, lazer e família. Fiquei impressionado com algumas coisas. Durmo menos que a maioria da população (que dorme 8 horas) e funciono. Porém o mais importante foi perceber que eu gasto apenas três por cento do meu tempo com a corrida. Três ... o resto está para a vida e seus desafios da sociedade moderna.
Não dá para abrir mão de algo que faz tão bem, principalmente por ser praticado em horário extraordinário. A vida vai ter que se encaixar no resto do tempo.

MARATONA DO RIO: FALTAM 15 DIAS
Junho é um contraste explícito ao mês de maio. Naturalmente já seria expressiva a diferença, por conta dos longões. Os treinos têm superado facilmente a hora e meia de treino e com isso o volume semanal superou pela primeira vez na minha vida os sessenta quilômentros. O feito que se repetiu nas últimas duas semanas, eu só havia alcançado em uma única semana de junho do ano passado. Alguns ajustes vêm sendo feitos na alimentação e na reposição energética durante os treinos. Enjoado do Carb Up, voltei a utilizar a paçoquita. É sério. Não é piada. De alto teor energético e saborosa, mando uma para dentro a cada quarenta minutos para fazer o treino algo ainda mais prazeroso.
O esforço tem sido grande e hoje uma novidade. O tornozelo direito ficou um pouco doido durante o dia. Farei gelo apenas por precaução, visto que o esforço ainda vai continuar grande nas próximas duas semanas.

PROMOÇÃO: EU QUERO CORRER O CIRCUITO ATHENAS RIO 2013 – ETAPA II
Corredores. A sorte foi lançada. Veja no link no alto da página a forma de participar da mais nova promoção do blog André e o tênis, patrocinada pela Iguana Sports.

Comentários

  1. André, curioso como fizeste o relato do seu percentual de tempo aplicado a corrida. A gente se assusta ao ver números, estatísticas tão fundamentadas na frente. Mas, 3% é bastante coisa, perto das horas de trabalho e de sono.
    Força para o seu próximo objetivo. Foco!!
    Ah! Parabéns pela promoção nova no blog.
    Abraço e boas corridas.
    Helena
    correndodebemcomavida.blogspot.com
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helena.
      Obrigado pela visita, mas você acha 5 horas semanais muita coisa? São três filmes e talvez o tempo para fazer pipoca para eles :-)
      Pena que estás em Floripa, senão lhe desejaria boa sorte no sorteio.
      Boas passadas!

      Excluir
  2. Sabe o que também me impressionou??? Os 11% com o trânsito. É muita coisa!

    Eu não sei porque cargas d'água ainda não comprei uma caixa de paçoquita para mim! rs

    Cuide bem desse tornozelo, André!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... 24 (horas) x 7 (dias) x 11% = 18 horas e 27 minutos de trânsito na semana. Triste é saber que existem casos muito piores que o meu.
      O tornozelo esteve a base de pomada diclofenaco nos últimos dias. Melhorou, mas ainda dói um cadin.
      Quanto as paçoquitas - risos - é o sabor sem pecado :-) É a dose de alegria no meio do treino. Cuidado para não enjoar também.
      Boas passadas e beijos.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…