Pular para o conteúdo principal

Limites

Depois de quase três semanas treinando nas ruas do bairro tomei coragem para enfrentar o velho longão do final de semana na orla de São Francisco. Foram 12 Km divididos em duas etapas, com direito a corrida leve na primeira metade e corrida moderada na segunda. Minha satisfação foi manter o pace de 5’30” nos 6 Km finais, fato que me deixou surpreso com tão pouco tempo de treino. Isso só me motiva ainda mais para as próximas semanas de treino e chegar na Adidas Outono 2011 com disposição para bater meu recorde pessoal.
Minha amiga Marta ainda não se convenceu se adota a corrida como esporte. Adoradora do spinning, correr ocasionalmente para quebrar a rotina da bicicleta.

Na revista O2 de dezembro de 2010 - edição 92
A matéria "A importância da musculação" é para aqueles que pretendem ir além da boa forma correndo. Se você pretende participar de provas e correr atrás de resultados a musculação é uma atividade complementar a ser levada em conta intercalando com os treinos. Marcelo Butenas foi muito feliz ao alertar sobre a prevensão de lesões com a musculação.
Suzana Bonumá trouxe informações relevantes sobre hidratação e nutrição na matéria "Fuja da rabdomiólise". Se ficou curioso para saber mais sobre este grave problema, o artigo dela é uma boa introdução.
A matéria “Na medida” é no mínimo inusitada, para não dizer cômita. Anna Ligia Machado relata uma forma de avaliar o esforço de uma treino sem um monitor cardíaco. Ela nos apresenta o teste da conversa. Se você consegue conversar é um treino leve. Se você já fala meio ofegante vamos chamar de moderado. Se você só pensa seu companheiro de treino em calar a boca, mas não consegue gritar, temos um treino forte. Brincadeiras a parte, ela recomenda (e eu também) o uso do monitor cardíaco. Mais seguro e eficiente. Imagina se você está treinando sozinho. Conversar com seu amigo imaginário pode parecer estranho no meio da rua.
“Sai o sofá... entra o sol...” é o título da matéria de Cesar Candido dos Santos. Esta relata com maestria os passos de um iniciante, as dificuldades e o maior dos desafios. Criar um novo hábito. Por ser um esporte individual, que não nos impõe uma limitação técnica ou financeira, correr é uma atividade disponível para todas, mas praticada apenas pelos perseverantes. É preciso ter foco, uma mente forte para continuar treinando e cavar um horário em nossa agenda para treinar 3 ou 4 vezes por semana. É você superando mais um limite até então existente em sua vida. A parte boa é que você estará adquirindo um novo hábito que lhe trará retorno em outras áreas da sua vida também. Correr é mais que saúde mental, é do corpo e também do bolso.
Para encerrar vou falar com Guia do Tênis. Este é o primeiro guia impresso que vejo da O2. Muito bom. Meu acanhado amigo Fábio deveria conhecê-lo para a compra de seu próximo tênis. O primeiro é assim mesmo, meu amigo. Meio no achômetro. Depois melhora. Outro ponto crucial para conseguir um bom tênis é estar preparado para comprar pela Internet. Se as lojas não lhe oferecem um bom preço, não tem problema. Vá a loja, escolha e experimente todos os tênis que você achar interessante. Quando encontrá-lo, veja se mais vale a pena comprar na loja, ou pela Internet.

André e o tênis
Depois de aproximadamente 700 Km resolvi aposentar meu Asics Kayano. Resistente e confortável meu companheiro de treino foi fundamental nesta reviravolta que promovi em minha vida. Agora é a vez do Adidas Sequence. Vamos ver do que ele é feito. A primeira impressão foi boa, mas vamos ver quanto ele aguenta.

Coisinhas da RW americana
Para quem gosta de registrar os treinos e controlar tudo que tenha relação com seu hábito de correr, a Runners World americana oferece um site para registro de informação. Vale conferir.

Gabrielle Andersen
1984 criou um dos maiores mitos do esporte do mundo das corridas. Falar de limites e não mencioná-la é perder uma ótima maneira de ilustrar uma idéia. A suíça Gabrielle Andersen não entrou para história por ter vencido a primeira maratona feminina em olimpíadas, mas por tê-la concluído. Das 50 maratonistas que largaram, 44 terminaram (uma brasileira foi a 44ª colocada) e ela chegou na 37ª posição. Aos 39 anos ela participava de sua primeira e sabida única olimpíada. Era a prova da vida. Ela iniciou a prova sonhando chegar entre as 15 primeiras, mas diante de tanta adversidade desejava apenas terminar. Parafraseando a suíça, “A mente faz grande parte do que você quer fazer”. O que passa pela sua cabeça ultimamente?

Comentários

  1. Pois é....comprei meu primeiro tennis para corrida: Um olympikus Tube. Gostei e achei muito confortável. Como sou iniciante é momento de aprendizado. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Vamos gastar esta sola! Espero que você se divirta muito nesta nova aventura.
    Boas passadas, meu amigo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…