Pular para o conteúdo principal

Saiba por que correr no inverno carioca pode ser bom para você

Este final de semana começa o inverno. Serão dias com aquele ventinho frio, neblina e muita vontade de ficar na cama, certo? Nada! O inverno é a melhor época do ano para se treinar aqui no Rio de Janeiro e redondezas, pois segundo estudiosos os corredores alcançam seus melhores resultados com a temperatura entre 12ºC e 20ºC. Justamente o que ocorre em nossa região nas manhãs pelos próximos dois ou três meses. Mas não pense que a vantagem existe apenas para os praticantes mais antigos. Para quem está começando existem inúmeras vantagens, dentre elas o fato de que os treinos provocarão maior queima calórica. Para quem deseja perder alguns quilinhos, fica a dica.
Treinar sob temperaturas mais amenas é mais saudável e aumenta seu rendimento, visto que não sofreremos os efeitos do superaquecimento. Com a menor perda de energia, conseguimos correr mais rápido e por mais tempo. Em meio as leituras achei interessante uma citação, onde o autor defendia que correr no calor é bom para os velocistas e sob temperaturas mais baixas para os fundistas (nós). Tenho amigos que defendem os treinos em alta temperatura e outros que defendem treinos na hora que for possível. Estou entre eles, mas se der para escolher, procurarei sempre o horário mais confortável.
Isso tudo lembrando que nenhuma atividade física deve ser realizada sem prévios exames médicos e (se possível) algum nível de orientação. Recado este para os novatos, visto que as lesões que atingem os corredores nos três primeiros meses de treinos ocorrem por falta de orientação técnica. Esquecem do aquecimento antes do treino e do alongamento após os treinos. 
Comece devagar. Respeite seus limites e não tenha pressa de alcançar altos níveis de desempenho. O maior dos desafios é a própria superação. Seja fiel a um plano de treinamento. O ciclo sugere o gradativo aumento de esforço para que ao final você consiga correr bem sua prova alvo. Se proteja adequadamente e curta este período de menos calor no Rio e redondezas.

50.000 mil visitas
O blog este mês alcançou a incríveis 50 mil visualizações, graças a você! São mais de 2.500 motivos que vocês encontram para dar um pulinho aqui ao menos uma vezes por mês. Obrigado pela companhia e pela participação. Assim seguimos, focados e apaixonados pela corrida.
Boas passadas!

Comentários

  1. Seu blog está me trazendo a consciência de que se eu não voltar a correr diariamente, devo voltar ao menos a caminhada. Parabéns! Beijos Eliane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, minha amiga.

      Às vezes falta tempo para boas e longas conversas. São tantas coisas, tantos assuntos, tantas obrigações. Ao menos aqui eu deixo um recado...uma desculpa para trocar uma idéia, mesmo que a distância.

      Espero que você retorne, pois caminhar é o primeiro passo para poder correr.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…