Pular para o conteúdo principal

Motivação é o que não falta!

Ainda estou sobre o efeito Family Run e isso faz a cabeça trabalhar cada vez mais em pró de melhores práticas para a corrida.

O resultado oficial e observações. Eu não poderia deixar de mencionar que fiz 35’28” para os 6K. Cheguei em 106º na categoria M3539 e 700º na geral. Meu amigo Carlos marcou 35’17” e chegou em 77º na categoria M4044 e 684º na geral. Esta foi minha primeira prova. Tirando a largada, acho que o resto foi bem organizado. Para mim tudo foi uma grande novidade. Li no site da Corrida das Estações Adidas a tal divisão de categorias para a largada; o pelotão queniano e os respectivos por cor. Seria bem melhor se a coisa fosse feita deste jeito. Eu tive dois problemas no início da prova. O primeiro foram duas senhoras andando e depois três caras que vieram atropelando da parte de trás do pelotão. Vou torcer para ano que vem isso ser resolvido.

Click: Parece que vários sites especializados mantém um serviço de fotografia de TODOS os participantes. É sério. A busca no site é normalmente realizada pelo seu número de inscrição (que você coloca na camisa), ou por CPF. Estas aqui são amostras, pois como não ajudei muito para a fotografia ficar legal, editei a foto de baixa resolução para ilustrar o fato. As fotos são vendidas de várias formatas: digitalizadas, com porta retrato e outras muitas formas criativas de se oferecer um produto. Só não se esqueça de correr de cabeça erguida e feliz, pois você não sabe quando será fotografado.

O lado bom das provas. É uma forma muito boa de se manter motivado e um desafiar os próprios limites. Outro fato interessante é que invariavelmente você encontrará algum conhecido que também pratica a corrida de rua e você não sabia. Além disso, são ótimos termômetros para avaliar a eficiência dos treinos e aprender um pouco mais sobre correr. Digo, assistir outras pessoas correndo é uma forma interessante de avaliar a tecnicamente como estamos correndo. Da Family Run percebi que posso alongar mais as passadas e inclinar o corpo um pouco para frente. Os poucos centímetros que se pode ganhar em cada passada podem reduzir sensivelmente o esforço nas grandes distâncias. Só preciso encontrar o limitar da minha passada e evitar uma contusão por estresse.

Próximas provas. Depois de uma busca na Interent, recomendo o calendário de eventos dos sites O2 por Minuto, Webrun e Runners (da revista da ed. Abril). Os principais eventos estão em todos os calendários, mas alguns ficam restritos a cada site. Em Niterói descobri o Circuito das Academias de Niterói e a próxima etapa contempla parte do percurso que uso para treinar (que coisa!).

O número de eventos no Rio de Janeiro ainda é infinitamente menor aos de São Paulo, mas não estamos tão mal na finta assim. Até o final do ano achei rapidamente uma dezena de provas no município do Rio de Janeiro e para quem quer novos ares, corridas em Búzios, Araruama e Petrópolis.

Onde correr em Niterói? Seguindo o conselho de uma amiga, eu deveria procurar um local para treino que não estivesse sujeito a tantas idas e vindas, para evitar a quebra do ritmo da corrida. Assim, fui para o fantástico Google Maps para traçar percursos na orla de Niterói. O percurso de 10K tem início no pé da descida do MAC vai até o final da Praia de São Francisco, em frente ao retorno para completar 5K. Daí é só voltar. É um percurso muito bonito e com temperatura bastante agradável se for feito nas primeiras horas da manhã.
Um segundo percursos um pouco menor, que vai do início da Praia de São Francisco até o final da Charitas... pouco depois da estação das barcas para completar 3K. Daí é só voltar para fechar os 6K.
Mas não posso negar minhas origens e omitir o percuso da Boa Viagem. Melhorando um trajeto que eu havia adotado temos um percuso de 1,5K entre o retorno no final da Boa Viagem e a Cantareira. Com duas voltas temos outros 6K. É um bom local também. Ainda estou evitando a subida do MAC, pois tenho pouco tempo de treino e temo por lesões. Não sei quando será adequado subir aquela pirambeira, mas continuarei procurando informações sobre o assunto.

Domingo próximo enfrentarei os 10K da Corrida das Estações Adidas. Clique no link e veja o percurso.
Boas passadas!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

André e seu novo tênis: Asics Kayano 20 NYC

Segundo o Garmin Connect foram 771 km corridos em 105 treinos. Foi assim que larguei o aço no meu antigo Asics Kayano 20. Gostei tanto dele que dei um jeito de encontrar seu irmão siamês, criado exclusivamente para homenagear a Maratona de Nova Iorque de 2013. Após o cancelamento da prova em 2012, o retorno de uma das mais tradicionais provas de rua precisava ser cheia de pompa. E a Asics não brincou em serviço. Além de muito bonito, o tênis tem tudo o que preciso para continuar evoluindo até outubro: estabilidade e conforto.
Muito já foi dito sobre a importância (ou não) do tênis na vida de um corredor. Eu sou do time que acredita que um bom tênis faz a diferença, tanto que hoje eu aceito usar qualquer tênis para correr desde que seja o Asics Kayano. Dentre minhas teorias eu acredito que ele seja o tênis mais eficaz para corredores de pisada pronada e que pesem mais de 90 kg. Como já mencionei em outros posts sobre tênis, já tentei utilizar outros modelos sem muito sucesso. Alguns aca…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…