Pular para o conteúdo principal

Nas revistas de novembro

A Revista O2 #91 começa com uma matéria maravilhosa intitulada Generosidade. Ela invoca um sentimento que todo bom esportista possui: o espírito de equipe. Aquela coisa que nos faz ir além do limite por causa do outro, em busca de uma vitória. A reportagem me remeteu a minha época dentro das piscinas competindo o Intercolegial. Época boa, boas pessoas e algumas amizades que venceram os anos. Este sentimento que Zé Lúcio Cardim comenta poderia ser partilhado por todos... na vida além do esporte, no social.

Heróis da resistência

Muitas outras reportagens usaram o limite como tema. A Prazer ou superação do Marcello Butenas, a Que zone é essa?!? da Gabriela Capi, a Dsciplina do corredor do Diogo Andrade e o Lactato é o limite... da Luciane Macias. A matéria do Diogo merece destaque, pois mostra exatamente o momento em que o corredor perde a humildade e se expõe as lesões. Compreender os treinos é tão ou mais importantes que nossa capacidade para realizá-los. Muitas vezes é possível ir além, mas isso significar ser salutar.

Nuno Cobra apresenta em sua coluna o maior de todos os energéticos: o oxigênio. Na matéria A Respiração e a corrida ele apresenta a respiração de uma forma diferente.

A experiência de Cassio Politi na Maratona de Chicago possivelmente irá lhe emocionar, se você já participou de uma corrida. Ele descreveu com maestria a emoção do dever cumprido que sentimos no final de uma corrida.

Abismado fiquei eu com A rota de Fidípedes, a histórica jornada de um militar brasileiro que completou os 246 Km do trajeto entre a Grécia e Espartas. Esta ultramaratona existe para homenagear o saldado grego que foi a Esparta pedir ajuda na guerra contra os persas. Apesar de retornar com a negativa espartana, seu feito não foi esquecido. Parabéns Rosivaldo.

Por fim, depoimentos bastante emocionantes contando como a corrida mudou a vida de gente comum, sem privilégios e muito trabalho para pagar as contas.

Muitas felicidades e anos de vida

A RW Brasil comemora dois anos de idade. Como todo bebê já possui uma gama de habilidades e conquistou seu espaço no coração de muitos com seu trabalho de incentivo a corrida. A matéria Um esporte para todos é a síntese destas 25 edições que tentaram mostrar que a corrida é um esporte simples e acessível. Com disciplina e dedicação qualquer um pode praticar e colher os bons resultados que esta atividade trás para corpo e mente. O chão de cada um é no mínimo uma surpresa, principalmente pelos exercícios funcionais sugeridos para reforçar a musculatura para a atividade.

Antonio Prata em sua coluna Sem pressa tocou em um assunto que definitivamente já passou pela cabeça de todo corredor: e se um dia não der mais para correr? Suas observações com relação a saúde mental são pertinentes e sinceramente não vi nenhuma outra atividade física proporcionar os benefícios que a corrida nos proporciona. Tanto em quantidade, qualidade e tempo para conquistá-los. Digo isso, pois esta semana fiquei de molho. Uma baita gripe resolveu sitiar meu corpo e foi complicado melhorar. Passei a semana sem treinar e os efeitos foram imediatos. O ritmo no trabalho também diminuiu devido a gripe, claro, mas acho que principalmente pela ausência da satisfação e bem estar que a corrida nos trás. Foi uma semana que preferi dormir muito e fazer o tempo passar para o corpo expulsar os invasores indesejados em um verdadeiro choque de ordem. Esta semana também foi complicada de se administrar neste pedaço do Brasil. A guerra urbana que o Rio de Janeiro e municípios ao redor precisaram enfrentar tornaram as ruas pouco salutares para corredores de rua. Uma coisa que não dava para ser nestes últimos dias era incauto. Mas isso eu deixo para vocês lerem nos jornais, que acompanham os acontecimentos de perto. Eu, ainda bem, só ouvi sirenes e o sobrevôo de helicópteros por onde estive esta semana.

Para acabar...

Melhoras para minha madrinha Gabriela, que enfrenta dores no joelho. Ela adora correr na esteira.

O Blog da Patricia Toledo tem uma ótima dica sobre hidratação. Este é um tema que sempre vale uma leitura

Comentários

  1. Um beijo para você também. Estou me cuidando. Logo, logo voltarei.

    ResponderExcluir
  2. Estou na torcida! Você iria adorar a Adidas Verão. Se cuida :-)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

André e seu novo tênis: Asics Kayano 20 NYC

Segundo o Garmin Connect foram 771 km corridos em 105 treinos. Foi assim que larguei o aço no meu antigo Asics Kayano 20. Gostei tanto dele que dei um jeito de encontrar seu irmão siamês, criado exclusivamente para homenagear a Maratona de Nova Iorque de 2013. Após o cancelamento da prova em 2012, o retorno de uma das mais tradicionais provas de rua precisava ser cheia de pompa. E a Asics não brincou em serviço. Além de muito bonito, o tênis tem tudo o que preciso para continuar evoluindo até outubro: estabilidade e conforto.
Muito já foi dito sobre a importância (ou não) do tênis na vida de um corredor. Eu sou do time que acredita que um bom tênis faz a diferença, tanto que hoje eu aceito usar qualquer tênis para correr desde que seja o Asics Kayano. Dentre minhas teorias eu acredito que ele seja o tênis mais eficaz para corredores de pisada pronada e que pesem mais de 90 kg. Como já mencionei em outros posts sobre tênis, já tentei utilizar outros modelos sem muito sucesso. Alguns aca…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…