Pular para o conteúdo principal

Cuide bem do seu cabide


O dia de treino amanheceu com chuva e a noite anterior eu teimosamente fiquei assistindo a TV. A preguiça veio e o corpo parecia estar preso a cama pela coberta. Pensei "mais 5 minutos e eu levanto". Pura ilusão.
Algum tempo depois eu ouço a voz do pequeno rebento me chamando. Sinto o celular em algum lugar entre a cama e minhas costelas. Ao resgatá-lo descubro que os 5 minutinhos viraram 2 horas. Passavam das oito da manhã. A culpa bateu, mas rapidamente foi substituída pela lamentação, pois não gosto de correr “tarde” por causa da poluição dos carros. Foi quando lembrei que havia consertado a esteira ergométrica, que há tempos foi transformada em cabide de roupas desde nossos tempos no Fonseca. Não ria, pois nosso cabide, digo esteira, teve grande serventia mantendo minhas camisas sociais esticadas. Passava-as a noite para na manhã seguinte vesti-las impecáveis graças ao nosso querido cabide.
Brincadeiras a parte, a velha Meister é uma modesta esteira semi-profissional que alcança 14 Km/h. Seus mecanismos são analógicos, mas funcionam bem. Ela também possibilita ajustar o ângulo em 3 níveis: paralelo ao chão (muito mole), uma pequeno ângulo (simula o esforço da corrida) e um terceiro que deve gerar um pouco mais de dificuldade. Escrevi a conclusão deste post antes de seu fim, pois a esteira estava ajustada no nível paralelo ao chão. A sensação de esforço foi menor do que na rua e a frequência cardíaca quase 15% menos intensa. Foi uma experiência interessante, pois comprovou-se as informações que tive acesso nas revistas. Realmente o impacto sobre as articulações foi menor e por estar com o ajuste padrão, a dificuldade do exercício também foi inferior. A parte boa é que quase não senti dor no quadril, o que me trouxe bastante alegria.
Falando na tal dor, na sexta-feira consegui uma consulta com um ortopedista. Fui muito sortudo, pois localizar uma clínica que trata de lesões de esporte e que ainda ofereça a fisioterapia em suas dependência e a duas quadras do trabalho realmente é uma providência divina. A parte ruim é que eles não trabalham com agendamento. O atendimento é na base da ordem de chegada. Como o doutor identificou uma leve inflamação solicitou uma ressonância e dez sessões de fisioterapia para tratar o problema. Agora o PROBLEMA é meu para encaixar o tratamento em algum momento do dia sem prejudicar o trabalho.

Comentários

  1. É de vez em quando correr na esteira é bom ...

    Bons treinos !!!!

    Fábio
    www.42afrente@blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Verdade, Fábio
    As dores do quadril diminuíram sensivelmente com os últimos treinos na esteira. Preciso fazer uma ressonância para ver o nível da inflamação e marcar a fisio para voltar para as ruas... mas parado não dá pra ficar!
    Obrigado pela visita.
    Abs
    André

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…