Pular para o conteúdo principal

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus


É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano.
Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios. 
Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais presente. Alguns amigos mais rodados já opinaram também, sugerindo que um trabalho de reforço na musculação também mitigaria estas dores. Porém, a verdade estava perdida, enquanto buscava um ortopedista. Semana passada finalmente encontrei um centro de tratamento ortopédico com ênfase para o esporte, ao invés dos traumas do nosso mundo moderno. Antes de fazer propagando do consultório, vamos ver como minha história vai terminar.
Voltando ao Asics Cumulus, ele tem mais que amortecimento. É um tênis extremamente confortável. Mas não descarto a hipótese de conhecer o GT-2160, o mais indicado se eu lembrar que minha pisada “foi” levemente pronada um dia. O último teste deu pisada neutra, mas não foi o mesmo sistema de avaliação. Tema para posts futuros.
Nas lojas e na Internet. Para você que lê, uma dica. As lojas de calçado tratam os tênis de corrida como as concessionárias tratam os automóveis. Sempre que um lançamento acontece, o “carro do ano” entra em promoção. É óbvio que ter a versão mais recente daquele modelo é o ideal, mas se você estiver apertado, ou tem séria resistência a pagar mais de 500 reais em um tênis atente-se a este fato. Consegui o Asics Cumulus na Internet por menos de 250 reais, mas curti muito prová-lo em uma loja para ter certeza de que ele era o que eu procurava. Outra vantagem da compra pela Internet é seu direito de devolução. Temos 7 dias para desfazer o negócio, caso ele não tenha lhe agradado. Na loja... chora. Comprou tá comprado. Dificilmente você conseguirá algo se o vendedor não tiver boa vontade, que por sinal, ele não é obrigado a ter.
Um esporte para todos. Fazia tempo que eu não postava um vídeo, mas este realmente resume em poucos minutos o que é correr uma prova. O vídeo me lembrou da grande aventura que vivi com compadre Gláucio e meus novos amigos do mundo da corrida de rua na Asics Golden Four. Abraço especial para meu amigo blogueiro Sérgio, escritor do blog Corredor Feliz, que me ajudou a fazer uma prova sub-2h.

Comentários

  1. Grande André, obrigado! não consegui ver o vídeo, mas desde já agradeço pela citação! Nunca tinha pensado que comprar o tênis na internet tem essa vantagem. É de se pensar...
    grande abraço e bons treinos,
    Sergio
    corredorfeliz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo, Sérgio.
    Este artifício está na lei do consumidor. Apenas mais uma de muitas coisas que pouco sabemos, mas que são nossas por DIREITO. É lícito e uma forma de avaliar custo/benefício.
    Citar aquele feito não é trabalho e espero um 2012 com novas corridas e muita alegria.
    Obrigado pela visita.
    Boas passadas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

Garmin Brasil: confiança tem nome!

Dia 11 de agosto, dia do último treino com meu Forerunner 610 funcionando. Não houve mandinga capaz de fazer a tela sensível ao toque responder o lado ocidental simplesmente não respondia mais ao toque.

Em conversa com o compadre Gláucio sobre que a Garmin havia montado uma unidade de reparo no Brasil. O processo foi bem simples. Num primeiro momento (1) descrevi o problema em um pedido de assistência, aos cumprir com os testes padrões sugeridos pelo atendente. Pouco tempo depois (2) recebi um orçamento para resolução do problema e se estivesse interessado, deveria realizar o pagamento do valor. O passo seguinte seria (3) enviar via correio o dispositivo sem acessórios para a Garmin Brasil. Fiz seguro e mandei via SEDEX. Daí foi aguardar pelo atendimento. A Garmin Brasil tem uma SLA de 30 dias úteis, mas não precisei aguardar tanto para rever meu FR 610 funcionando. Na última quarta treinei com ele. Estava como novo. Até a película protetora estava na tela para mostrar que era nova.


Exc…

Do jeito que dá

A crise realmente chegou para todos. Da mesma forma que Lelo Apovian relata (na matéria A corrida não pode parar, publicada recentemente no site da Runners World Brasil) que a vida não está fácil para quem vive da corrida, não está fácil para nós que desafiamos o orçamento do mês para encaixar eventualmente acessórios e inscrições nas despesas mensais. É preciso se planejar e saber quanto é quando gastar. Nestas horas relembro de informações cortadas nestes anos de corrida. Uma que se aplica bem a este momento foi dita pelo nosso melhor maratonista (na minha humilde opinião) de todos os tempos. Vanderlei disse que se preparava para participar em alto nível de suas provas em média num ano. Particularmente algo sensato até para nós amadores, já que a maioria das planilhas treino (genética ou não), sugerem oito semanas de treino para um prova. Além de bom adequado, fisiologicamente dizendo, faz bem para o bolso nos dias atuais. Muitas organizações sabendo que as pessoas serão mais criteri…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…