Pular para o conteúdo principal

Treinos intervalados e a perda de peso


Imagine você sentado em sua mesa de trabalho ouvindo seus companheiros discutindo sobre saúde, boa forma e voltar para musculação. Nenhuma novidade neste mundo onde muitos vivem de promessas (principalmente nesta época do ano) e alguns poucos assumem um real compromisso de revolucionar a própria vida. Mas o cenário foi montado por causa de um comentário específico. Um destes personagens jurava que voltaria a boa forma através da corrida. Quando ouvi a palavra corrida, me interessei e comecei a prestar atenção na calorosa e animada conversar, até que ele disse que faria tudo isso com treinos contínuos baseados em distância. Você também já passou por uma situação semelhante? Pois é, você não foi o único. Os treinos são mais do que simplesmente colocar um par de tênis e sair correndo por aí, ou pela esteira até um número mágico aparecer. Os treinos são elaborados objetivando uma crescente de condicionamento, se fazendo (principalmente) dos treinos intervalos. Se você não conhece o termo, os treinos intervalados sugerem alguns minutos correndo, seguidos de minutos caminhando ou trotando. A intensidade é outro ponto importante até mesmo nos intervalados. Colocar esforço demais antes do tempo pode levar a uma contusão, mesmo nem treino intervalado.
Fã da Revista Runners World Brasil, eu sempre fiz mão de uma das planilhas sugeridas no website desta publicação. São planilhas genéricas, mas são planilhas. O recomendado é que você tenha acompanhamento de uma assessoria, para que não se machuque, para ter um profissional capacitado lhe monitorando. Mas se você, como eu, tem dificuldade para encontrar uma assessoria que atenda no seu horário livre, lembre-se que a planilha genérica pode ser uma grande alternativa. Funcionou comigo e espero que você tenha a mesma sorte e disciplina. No primeiro sinal de desconforto, ou insegurança, procure orientação. A internet está repleta de blogueiros (como eu), que podem lhe esclarecer algumas dúvidas ou indicar um profissional que possa lhe atender corretamente.
Os primeiros 10K a gente nunca esquece.
Vida ao intervalado!!!
Isso tudo para falar dos treinos intervalados, porque os leigos desconhecem o seu poder. Repetindo, você ganha condicionamento gradativamente, pois os intervalos que variam inicialmente entre caminhada e corrida leve, seguem evoluindo até trotes e corridas de alta intensidade. Nos intervalos de intensidade que pratiquei no último treino, mostraram o quanto estou evoluindo fisicamente. Consegui manter um pace em torno dos 5’30” durante os 10 minutos de cada trecho do treino. Lembrando que há menos de 1 mês eu não conseguia correr por causa das dores, só tenho a agradecer a Deus por isso.
Agora que todo mundo sabe que os intervalados são bons e importante no desenvolvimento do condicionalmento, farei uma analogia final. Você sabia que um carro consome mais combustível dentro da área urbana do que nas estradas em velocidade alta e quase constante? Isso por que o carro ao atingir uma velocidade de cruzeiro, nas estradas, não precisa de mais esforço para continuar funcionando. Enquanto que na cidade, aquele anda e para por causa do trânsito ou dos sinais fazendo o motor se esforçar mais. Mais esforço, mais consumo... agora imagine que você é o carro. Se queres perder peso, transite como o carro na cidade. Correndo e andando. Intervalando.
Boas passadas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

André e seu novo tênis: Asics Kayano 20 NYC

Segundo o Garmin Connect foram 771 km corridos em 105 treinos. Foi assim que larguei o aço no meu antigo Asics Kayano 20. Gostei tanto dele que dei um jeito de encontrar seu irmão siamês, criado exclusivamente para homenagear a Maratona de Nova Iorque de 2013. Após o cancelamento da prova em 2012, o retorno de uma das mais tradicionais provas de rua precisava ser cheia de pompa. E a Asics não brincou em serviço. Além de muito bonito, o tênis tem tudo o que preciso para continuar evoluindo até outubro: estabilidade e conforto.
Muito já foi dito sobre a importância (ou não) do tênis na vida de um corredor. Eu sou do time que acredita que um bom tênis faz a diferença, tanto que hoje eu aceito usar qualquer tênis para correr desde que seja o Asics Kayano. Dentre minhas teorias eu acredito que ele seja o tênis mais eficaz para corredores de pisada pronada e que pesem mais de 90 kg. Como já mencionei em outros posts sobre tênis, já tentei utilizar outros modelos sem muito sucesso. Alguns aca…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…