Pular para o conteúdo principal

MY ASICS - Treinos personalizados online

Tudo começou quando a Márcia postou no Facebook que gostara do My Asics, um aplicativo online que gera planilhas personalizadas gratuitamente. Mas foi lendo o post da Aline que me interessei pelo serviço. Ratificando a informação passada por ela, o site oferece um mecanismo para construção de uma planilha de treinos, ou invés de apenas lhe sugerir algumas planilhas com período de treinos fechado.
O formulário do My Asics inicia com a primeira e mais inusitada pergunta: quando será prova alvo? Depois vieram os campos para a distância alvo (de 5 km) e o tempo alvo (de 24'00"). Em seguida passei meu último tempo (de 24'11") feito na Adidas Verão 2012, disponibilidade de 3 dias para os treinos semanais e a intensidade alta para os treinos.
Momentos depois o site retornou que as 7 semanas de preparação poderiam me levar a 23'40"! Não esperava tanto e me surpreendi. Me surpreendi por não ter que costurar uma planilha pré-moldada. Me surpreendi pela proposta de treinos, onde essencialmente aprenderei a desenvolver um ritmo para provas curtas.
O ponto negativo do aplicativo é que ele apresenta uma proposta de treinos, mas não o treino propriamente dito. O app para Android não é sofisticado como o Runkeeper. Tipo, ele sugere um treino de 3 Km, tendo tiros de 1 km. Passa que o descanso deve ser ativo em corrida leve para recuperarmos o fôlego em um intervalo de 2 a 5 minutos. Não é exatamente algo pré-configurado, mas com um app como o Runkeeper é fácil de ajustar. O MY ASICS não chega neste nível. Assim, passei a proposta de treinos para uma planilha e vamos ver o que estas 7 semanas me trarão.

3.300 KM DEPOIS E UM POUCO MAIS
O ano está acabando as conquistas não foram poucas, principalmente no que se refere a confiança. Este ano foram deixados para trás mais de 1.300 Km, mas de 30% de crescimento no volume de treinos e nenhuma lesão. Isso só reforçou a importância do tempo que dediquei ao desenvolvimento técnico, que complementou o trabalho de fortalecimento muscular com os treinos de qualidade (diz-se ladeiras e escadas).
O caminho de volta para casa continua. O marcador já invadiu o estado da Bahia e Feira de Santana já ficou para trás.

Comentários

  1. Oi, André.

    Também fiquei sabendo o My Asics através do blog da Lineca. Acho uma excelente opção para quem quer montar microciclos e até ciclos maiores em cima de uma prova alvo. Muito legal ter compartilhado a seu experiência também.

    Quero agradecer pela parceria e atenção que tens me dado no blog.
    Aproveito ainda para desejar um Feliz Natal e um 2013 com muita saúde e sucesso!!!
    Forte abraço e boas corridas.

    Helena
    correndodebemcomavida.blogspot.com
    @correndodebem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, Helena.
      Este retorno é super legal e me motiva a continuar escrevendo :-)

      Nesta vida corrida e apertada que levo, às vezes uma palavra é suficiente para retomar meu ânimo. Poder ter acesso as suas experiências é um privilégio. Eu que agradeço pela oportunidade.

      Boas passadas!
      André

      Excluir
  2. André, muito bom esse sistema. Gostei que não em nada muito além da imaginação. Vou seguir meu plano de completar uma meia abaixo de 1:50.

    Abraços,

    Victor Caetano

    corridaurbana.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que a novidade lhe foi útil, meu amigo.

      Este verão quero aprender a correr distâncias menores mais rapidamente, para conseguir completar os 10K abaixo de 50min (no outono) e a meia abaixo de 1h50min (no inverno).

      Estou otimista.
      Feliz Natal.
      André

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

Do jeito que dá

A crise realmente chegou para todos. Da mesma forma que Lelo Apovian relata (na matéria A corrida não pode parar, publicada recentemente no site da Runners World Brasil) que a vida não está fácil para quem vive da corrida, não está fácil para nós que desafiamos o orçamento do mês para encaixar eventualmente acessórios e inscrições nas despesas mensais. É preciso se planejar e saber quanto é quando gastar. Nestas horas relembro de informações cortadas nestes anos de corrida. Uma que se aplica bem a este momento foi dita pelo nosso melhor maratonista (na minha humilde opinião) de todos os tempos. Vanderlei disse que se preparava para participar em alto nível de suas provas em média num ano. Particularmente algo sensato até para nós amadores, já que a maioria das planilhas treino (genética ou não), sugerem oito semanas de treino para um prova. Além de bom adequado, fisiologicamente dizendo, faz bem para o bolso nos dias atuais. Muitas organizações sabendo que as pessoas serão mais criteri…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…