Pular para o conteúdo principal

Circuito Athenas RIO - III Etapa

Há muito dizem que um é pouco, dois é bom, mas três... três é bom demais! Foi assim que encarei as três etapas do Circuito Athenas. Não por ter superado distâncias, mas por ter superado um ano repleto de desafios e ainda ter vivido grandes experiências por conta da corrida de rua. Vieram novos amigos, sorteios e experiências que carregarei comigo. Um forte abraço para a Renata, Milene e Flávio, vencedores dos sorteios que realizamos durante o ano. Meus eternos agradecimentos a Noemia Brum, da Iguana Sports, por ter confiado na divulgação das provas através deste blog. Está tudo muito lindo, mas vamos contar como foi a terceira etapa.
O dia amanheceu com a temperatura amena, com nuvens a encobrir parcialmente o sol que lutava para ganhar o céu. A viagem Niterói - Barra da Tijuca foi tranquila e como cheguei com certa antecedência não tive problemas para estacionar a menos de duas quadras da largada. Largada que por sinal seria no mesmo local da Maratona do Rio. Um filme da corrida passou pela mente enquanto em avaliava o "circo" armado. Gosto demais da infra-estrutura da Iguana Sports. Eles não complicam e conseguem oferecer qualidade nos eventos.
Não demorou muito para eu esbarrar com o Sérgio e a Drica, evidências vivas de que existem super-humanos. Eles correm ULTRA MARATONAS. Os detalhes desta aventura vocês podem conferir no blog Correndo na viagem. Conversamos um bocado sobre a grande aventura antes da largada, tiramos a tradicional foto para registrar o encontro e seguimos para a largada.
Cinco para ir e cinco para voltar. Um percurso simples, plano, bonito e rápido. Perfeito para se fazer um novo recorde pessoal, mas não iria ser desta vez. Mas eu estava feliz, afinal eu estava correndo! É o que importa. Celebrar a chance de praticar um esporte. Larguei tranquilo e sem forçar junto com o Sérgio. Ele iria correr apenas 5 Km bem tranquilos. Desejei-lhe sorte e segui para os meus 10 Km em ritmo mais intenso. Eu só queria melhorar a marca do Circuito Light Rio Antigo, quando fiz 1h00 cravada nos 10 Km do sinuoso percurso das ruas do centro.
A temperatura ajudou bastante e com uma hidratação impecável consegui manter um bom ritmo na primeira perna do percurso. Fiz a volta e perto do Km 6 avistei a Fabiana, sendo escoltada pelo Gláucio, rumo aos seus primeiros 21 km. Foi respirar fundo e gritar um "Bora Fabiana!" antes de seguir em frente. Com o vento soprando contra, o caminho de volta para o Pontal foi mais cansativo. Eu perdia velocidade sempre que corria sozinho. Assim tentei me manter na perseguição de algum corredor para tentar usá-lo como escudo contra o vento. Apertei até o ritmo em alguns momentos para não correr desgarrado, que se mostrava uma opção muito ruim.
Quando dei por mim a reserva já havia acabado e já estava cercado pelos prédios. Faltando pouco mais de um quilômetro ainda avistei a Drica e o Sérgio indo embora. Ela perguntou se eu iria conseguir cumprir a meta da corrida sub-57 minutos. Eu disse acho que sim, respirei fundo e busquei o tanto de energia que ainda possuía para passar pelo pórtico com 56 minutos e 40 segundos! Três minutos mais rápido que o feito de duas semanas atrás. Missão cumprida. Como é bom correr. Como é bom celebrar a vida!
No caminho de volta eu me perguntava sobre o próximo desafio e pensei: continuar correndo. Se sobrar um tempinho para mais uma prova este ano, que venha sem compromisso também.

Boas passadas!

Comentários

  1. Boa André! Agora é traçar a próxima meta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Flavio.
      Como foi a prova? Atingiu sua meta?
      A estrada para voltar a correr em 50 minutos é longa, mas não tenho pressa.
      Boas passadas!

      Excluir
  2. Parabéns André, não sei exatamente o que está acontecendo, mas você está passando por isso e vai conseguir alcançar teus objetivos, essa prova foi PROVA disso. Bom tempo, superação e a lembrança de como é bom correr.
    Bons treinos
    Ju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju. Obrigado pela visita. Hoje cedo publiquei o salseiro que estou vivendo no O GRANDE EQUILIBRISTA. Vamos indo... são fases a serem superadas.
      Boas passadas!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…