Pular para o conteúdo principal

5 meses: adeus à barriga

Apesar da abordagem generalista, as revistas especializadas tiveram um papel essencial nestes primeiros meses de treinamento. Revendo algumas belas reportagens achei as dicas para ganhar velocidade na Runners #18 merecedoras de citação para este post. Incluindo treinos intervalados e de resistência a rotina semanal gradativamente teremos a melhora de nossas marcas pessoais. A revista ainda trás 47 motivos para se correr, mas lhe garanto que antes de chegar ao décimo motivo você estará sorrindo e feliz por ter escolhido a corrida como esporte, ou forma de se manter saudável.

Por falar em saúde contabilizei 8 Kg a menos desde o início dos treinos em 22 de março. É bastante coisa e graças ao bom Deus quase todos exorcizados da barriga, que de chamariz, passou a uma reles lembrança. Minha preocupação atual é manter uma dieta. Uma dieta de engorda. Se não me atentar a alimentação, emagrecerei além do desejado. Não penso, no momento, em aumentar a intensidade dos treinos para buscar marcas melhores, pois o trabalho e a família precisam de meu tempo. Voltando a dieta de engorda, estou para visitar uma nutricionista em busca de orientação. Preciso mapear a alimentação para evitar perder mais peso.

Por falar em saúde, preocupado em evitar lesões montei uma planilha de exercícios funcionais para execução nos dias em que não houver treino. Salvo subir escadas e as flexões, os demais exercícios dependem de alteres, bolas pesadas, conforme já apresentado em algumas reportagens da revista Runners este ano.

Tempo run. O treino do último domingo foi um TR de 75' em que corri 11K. Nada mal se levar em conta que a FCM média foi de 79%.

Trail running. Para quebrar a rotina, desafiei a chuva fina e fugi do treino no asfalto. Alterei o percurso indo para o zoológico do Fonseca. Suas trilhas de terra batida e extremamente arborizadas me fizeram esquecer que estava em uma pequena ilha de natureza no mar de concreto chamado de civilização. O som da cidade foi abafado pelo muro verde, permitindo ouvir os pássaros, o pequeno corrego e minhas passadas na terra molhada. Respirar um ar sem sabores artificiais foi o toque final neste treino leve de 45'. Gostaria de compartilhar o visual com você, mas a chuva não me permitiu fotografar a paisagem. Fica para próxima.

Como tudo que é bom nesta vida, acabou rápido. Foi correr para casa, pois dia de semana é dia de trabalho.

Até domingo.

Comentários

  1. Gostaria de dizer que o meu amigo André está uma verdadeira máquina de correr. No domingo, me aventurei a correr com ele e apesar do ritmo forte, foi ótimo!!! Uma corrida maravilhosa amparada pelo visual da praia de Icaraí.

    ResponderExcluir
  2. Fala André! Achei muito interessante este teu blog!Parabéns! Você realmente tá bem pilhado com as corridas! Aliás, ESTAMOS, agora tô trabalhando a minha padawan... para ter ideia inscrevi a Rafinha para a corrida das academias kids e tenho feito uns treinos de velocidade com ela me acompanhando de bicicleta (Mc Donald São Francisco ao Catamarã, ida e volta)mais um pouco será o Luquinhas tb.hehehe Hj e amanhã tô em Volta Redonda, mas vamos ver se marcamos um dia para correr e eu te atualizar sobre as minhas experiências nas duas meias e com os diferentes tênis e marcas... e vc me atualizar destes teus numeros, planilhas e materias q le. Domingo é um dia bom para uma corrida de noitinha seguida de papo. Abs

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo carinho e amizade, Marta. É realmente uma retomada o que a corrida me proporcionou nos últimos meses. Correr hoje é mais que uma atividade física, tornou-se um estilo de vida.
    Sua companhia será sempre bem vinda!

    ResponderExcluir
  4. Estou muito a fim de colocar este papo em dia, compadre! Afinal é a informação que nos faz melhor no que nos propomos a fazer. Achei um barato o lance com a Rafinha... com a energia que o Lucas tem, daqui a pouco ele estará em uma empreitada destas realmente.

    Tenho feito o longão normalmente no domingo de manhã, para aproveitar mais o dia. Mas novas experiências são bem vindas :-)

    Forte abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

Do jeito que dá

A crise realmente chegou para todos. Da mesma forma que Lelo Apovian relata (na matéria A corrida não pode parar, publicada recentemente no site da Runners World Brasil) que a vida não está fácil para quem vive da corrida, não está fácil para nós que desafiamos o orçamento do mês para encaixar eventualmente acessórios e inscrições nas despesas mensais. É preciso se planejar e saber quanto é quando gastar. Nestas horas relembro de informações cortadas nestes anos de corrida. Uma que se aplica bem a este momento foi dita pelo nosso melhor maratonista (na minha humilde opinião) de todos os tempos. Vanderlei disse que se preparava para participar em alto nível de suas provas em média num ano. Particularmente algo sensato até para nós amadores, já que a maioria das planilhas treino (genética ou não), sugerem oito semanas de treino para um prova. Além de bom adequado, fisiologicamente dizendo, faz bem para o bolso nos dias atuais. Muitas organizações sabendo que as pessoas serão mais criteri…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…