Pular para o conteúdo principal

Eu e a lua


Durante o treino que realizava na noite de terça, eu me perguntava se seria possível continuar escrevendo sobre corrida sem perder o foco. Questionava se minha busca por informações relevantes minguaria com o tempo, mas me dei conta que minha evolução como corredor e o avanço das pequisas sobre o assunto tornam o campo de estudo vasto e praticamente inédito a cada dia. Assim, temas não faltam para este corredor blogueiro provocar uma boa discussão, ou a mais simples reflexão nos mais discretos, pois o objetivo deste blog é se tornar um clipping da mídia especializada. Uma forma de guardar informações relevantes para quem pratica a corrida e trazer um norte para quem está iniciando a atividade como eu. A idéia é criar consciência.
Ciclo da vida. Mais uma vez a vida me pregou uma peça. Parece que tudo que fazemos obedece a um ciclo, inclusive correr! Na O2 #88 a reportagem entitulada Pit stop reforçou a tese de que se preparar para uma prova é preciso obedecer a um ciclo crescente de intensidade nos treinos até o evento e no pós-prova promover um período de recuperação da musculatura. Estes ciclos auxiliam na prevenção de lesões e aos excessos nos treinos (overtrainning). Aumentar o tempo, a distância, ou o esforço nos treinos nem sempre será uma boa estratégia para melhorar nosso desempenho. É preciso avaliar o momento.
Há algum tempo leio recomendações sobre possuir um treinador. Cheguei a consultar duas equipes que treinam na Praia de Icaraí, mas ainda estou reticente em me engajar em um destes grupos. Preciso de mais informações sobre o assunto.
Licença para correr. Segundo publicações, um atleta de 62 anos passou mal durante a Maratona do Rio, teve convulsões, mas foi assistido e internado. O caso ainda teve por menores, que não me cabem tratar, porém o incidente terminou com a falência do velho corredor, que possuía um histórico invejável de participações oficiais em provas (leia a matéria).
Com o aumento vertiginoso do número de participantes nas corridas de rua, o número de emergências médicas nos eventos também cresceu. Algumas mentes pensantes da área acreditam que a apresentação de um exame médico, com no máximo 1 ano de validade, deveria ser obrigatório para inscrição nos eventos. O assunto não é de simples solução e seus desdobramentos afetariam os organizadores, o poder público, ou os corredores. Este assunto definitivamente não acaba por aqui. A discussão está quente no Blog Correria, do Sérgio Xavier Filho, comandante da Runners World. O post Debate Quente acumula 52 comentários sobre o assunto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…