Pular para o conteúdo principal

500 km depois...

500 km depois e eu continuo com muita coisa para contar. O post de hoje vai ser quase uma maratona com 4 histórias diferentes.

Neste domingo tive a satisfação de correr um longão com meu compadre Gláucio, que já possui duas meia-maratonas no currículo. Saímos da Concha Acústica no centro para descompromissados 10K, passando por Boa Viagem e pelo MAC, mas estávamos bem e seguimos pela Estrada Fróes até o mirante de São Francisco antes de dar meia volta e retornar para a Praia de Icaraí. Foram 11K até a deliciosa água de coco e depois outros cinco para o ponto inicial do treino. Total, 16K. Recorde pessoal de distância e de forma natural, pois mantivemos 6’31” por Km durante as quase duas horas de treino.

Meu compadre tentou me convencer a participar de uma meia maratona. Diz que já tenho fôlego para terminar uma, mas estou reticente. Sou apenas um neófito neste mundo de passadas sem fim. Não satisfeito com minha resposta pouco convincente, assim que chegou em casa me mandou uma reportagem do Globo informando que em abril de 2011 a Meia Maratona Niterói-Rio voltará a ocorrer depois de praticamente 20 anos fora do calendário esportivo da cidade. Eu nunca havia ouvido falar que algo parecido já havia acontecido. Em meus devaneios já havia sonhado em atravessar a ponte correndo, mas era viagem na maionese de corredor com endorfina na veia. Aqui deixo o link para reportagem e um suposto trajeto feito no Google Maps.

Quantos K um tênis pode suportar?

Aproveitei a oportunidade para perguntar ao Gláucio, que tem algumas centenas de quilômetros corridos a mais do que eu para saber que parâmetro ele utilizava para trocar de tênis e quanto um tênis suportaria. Segundo pesquisa pessoal, um tênis pode aguentar até 800 Km, mas ele considera muito importante avaliar constantemente a capacidade de amortecimento do tênis. Eu em minhas andanças não encontrei uma quilometragem, mas me recordo de ter visto em algum lugar que deveríamos trocar de tênis a cada seis meses. Achei muito muito vago, por motivos óbvios, pois meus semestre definitivamente é diferente de alguém que treina todos os dias.

Algo que não se vê todos os dias. Dois F5 subindo a Presidente Vargas.

Parada de 7 de setembro que nada, caminhada

Sete de Setembro, feriado nacional. Dia de parada na Av. Presidente Vargas no centro do Rio. Só não sei o motivo de chamarem de parada, pois as tropas caminham por quilômetros e nós também, em virtude do cordão de isolamento para carros particulares e ônibus. Foi preciso uma bela caminhada para chegar ao Campo de Santanna e graças a endorfina até isso foi bom. A caminhada ajudou a soltar a musculatura, dolorida do longão do último domingo.

Passagem das forças armadas.

Todas as nossas forças de segurança estavam ali representadas. Exército, marinha, aeronáutica, polícia militar, bope, bombeiros e me perdoem se faltou alguém. Todos prumados com seus tanques, barcos, carros, caminhões, caveirões, cavalos, helicópteros e dois caças F5 que passaram bem baixinho, encantando adultos e crianças entre eles eu, minha esposa e filho.

De noite, fiz um bom treino intervalado.

Objeto de desejo

Desejo é uma coisa complicada. Enquanto não sabemos que aquilo existe, não cobiçamos, não desejamos. Mas aí você entra no site da O2 para ler uma matéria nova e se depara com este brinquedo. Já perdi a conta das vezes que achei que perderia meu telefone celular por causa da chuva, ou tomaria um choque na orelha por causa do fone que não era a prova d’água. Aí aparece este aparelho, que infelizmente não tem em estoque no site da Sony, apenas para me deixar com água na boca. Se você também não conhecia, compartilharei da minha dor com você. Muito prazer, este é o Sony NWZ-W252.

Sony NWZ-W252. Além das minhas palavras.

As planilhas confundem você?

Resolvi tocar no assunto depois de perceber que vários amigos e amigas não se fazerem da planilha por não entenderem seu funcionamento, ou importância. E para minha felicidade o assunto voltou à tona nos principais veículos especializados. Abaixo farei a descrição dos 3 tipos de treino que compõem meu treino semanal. Para sua realização faço uso do monitor cardíaco, pois praticamente todas as planilhas de treino que pesquisei e encontrei na Internet fazem uso da frequência cardíaca como parâmetro de esforço.

O próprio monitor cardíaco em sua configuração padrão define sua frequência cardíaca máxima (FCM) através da seguinte conta: 220 menos a sua idade. Existem estudos informando que este processo é generalista e pouco preciso, mas é um bom indicador para nós iniciantes. Recomenda-se a realização de um teste ergoespirométrico para realmente definir a sua FCM efetiva. Se você está começando agora, este teste é mais importante ainda, pois você precisa saber como anda seu coração antes de iniciar uma atividade física de esforço contínuo. Não seja tolo em se expor a um piripaque por negligenciar um exame que normalmente é coberto pelos planos de saúde. Pode até ser demorado para conseguir agenda para o teste, mas seja paciente. Paciência, inclusive, é uma das características que um corredor deve desenvolver desde seu primeiro treino. A boa forma vem apenas com o tempo e com os treinos.

Os treinos variam em intensidade. Normalmente você não terá que trabalhar no seu limite cárdio-respiratório, pois esta não é a intensão. Os treinos, por mais óbvio que pareça dizer, têm como objetivo condicioná-lo gradativamente a correr distâncias maiores. Usando as planilhas da Runners World como referência, você perceberá níveis de esforço como caminhada (CA), corrida leve (CL), corrida moderada (CM), corrida forte (CF) entre outros. Todas eles têm um nível de frequência cardíaca associado. A conta é simples de se fazer para organizar seus treinos. Bem, chega de enrolação e vamos aos tipos de treino.

Correr, andar, correr e andar. Este treino que nos obriga a conferir o monitor cardíaco tem nome: intervalado. Este nos ajuda a aumentar nossa velocidade e consequentemente reduzir nosso tempo nas provas.

Correr, correr e correr. Quando alcançamos certo nível de preparação conseguiremos manter a corrida por um longo tempo em ritmo leve, ou moderado. Este, chamamos de treino de resistência, onde o mais importante não é ser rápido, mas concluir o tempo, ou distância conforme planejado.

Sobe e desce. Encarar ladeiras é uma forma de se conseguir força para as passadas, mas cuidado se você for um iniciante. O esforço de uma ladeira pode exigir mais do que suas articulações e musculaturas estão preparadas para suportar.

A resenha acima é um pequeno exemplo do que um treino orientado pode fazer por um corredor. Além disso, diversificar o treino evita o tédio e ajuda a manter o foco.

Este blog foi feito para ajudar, mas é resultado de leitura e interpretação do conteúdo disponível na mídia especializada. Encare-o apenas como um norte e procure ajuda para atestar suas necessidades.

Comentários

  1. Amigo, tô dentro dessa corrida passando pela Ponte Rio Niterói !!!!!!!!! bjs e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Kayano 20 NYC

Segundo o Garmin Connect foram 771 km corridos em 105 treinos. Foi assim que larguei o aço no meu antigo Asics Kayano 20. Gostei tanto dele que dei um jeito de encontrar seu irmão siamês, criado exclusivamente para homenagear a Maratona de Nova Iorque de 2013. Após o cancelamento da prova em 2012, o retorno de uma das mais tradicionais provas de rua precisava ser cheia de pompa. E a Asics não brincou em serviço. Além de muito bonito, o tênis tem tudo o que preciso para continuar evoluindo até outubro: estabilidade e conforto.
Muito já foi dito sobre a importância (ou não) do tênis na vida de um corredor. Eu sou do time que acredita que um bom tênis faz a diferença, tanto que hoje eu aceito usar qualquer tênis para correr desde que seja o Asics Kayano. Dentre minhas teorias eu acredito que ele seja o tênis mais eficaz para corredores de pisada pronada e que pesem mais de 90 kg. Como já mencionei em outros posts sobre tênis, já tentei utilizar outros modelos sem muito sucesso. Alguns aca…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…