Pular para o conteúdo principal

Amigo oculto

Novembro 2011
Minha amiga oculta, quando a conheci já praticava atividades físicas. Fissurada num spinning, já estava acostumada a ter a endorfina correndo na veia.
Competitiva, nunca fugiu de um bom desafio e foi ainda em 2010, quando eu iniciava meus primeiros treinos intervalados de caminhada e corrida, que a convidei para uma corridinha no calçadão de Boa Viagem, com o Aterro do Flamengo como pano de fundo. Morro de rir quando ela recorda este dia. "Eu saí de casa para uma corridinha leve e bater um papo, mas quando vi você sacando a planilha pensei: meus Deus! Mas não fiz feio!"
Aos poucos ela tomou gosto pela coisa e separou um espaço na agenda para os treinos. Ela durante um tempo conciliou a corrida e o spinning, a ponto de participar de algumas provas. Achou os 5 Km pouco e rapidamente já se arriscava nos 10 km. Debutou fazendo abaixo de 1h15 em 2011.
Março 2012
Inteligente e curiosa, gosta de ler sobre tudo. Inclusive sobre corrida. É duplamente legal, pois além de assunto para as travessias na barca, ela sempre esbarra em assuntos de seu interesse como praticante de atividades físicas.
Essa minha amiga oculta é muito teimosa também, pois há tempos tento convencê-la de que teria um desempenho melhor se tivesse um monitor cardíaco para treinar, inclusive para o spinning. Mas antes tarde do que nunca e faz quase um mês que ela vem utilizando o dispositivo. Os resultados são tão expressivos que ela confidencia eufórica os resultados do controle do ritmo cardíaco sobre os treinos e consequentemente em suas medidas.
Mas como eu falava mais acima, minha amiga oculta é muito teimosa, mas o lado bom disso é sua resiliência e perseverança. Se ela colocar algo na cabeça, dê como concluído. "O que ela começa ela termina" (como bem disse o Seu Jorge) e justamente estas características que foram o alicerce para superar um câncer. Um câncer de mama e tudo que este trás consigo. Sinceramente nunca me senti tão inútil, mas orei e torci, assim como muitos para que ela vencesse esta batalha mortal. Sua força interior foi impressionante, pois não foi fácil enfrentar fantasmas pessoais e os efeitos que o tratamento impõe para o corpo e para mente.
Dezembro 2012
Se o desejo pela vida já lhe era marcante, após vencer o câncer virou bandeira. E justamente para defender o que é dela, cá estamos nós falando de corrida novamente. Pois nos próximos anos a corrida será sua maior aliada contra este inimigo íntimo.
Há seis semanas ela retomou os treinos, dois dias na esteira e um terceiro na rua. Obstinada, se impôs o desafio de voltar a correr 5 Km sem parar no dia 5 de maio na Corrida contra o Câncer de Mama. E como sua adaptação aos treinos têm sido muito boa, decidiu também  por correr os 10 Km da GRAAC, uma instituição em São Paulo, que cuida de crianças com câncer. Será a Marta e o tênis.




O SORTEIO SERÁ NO DIA 18
Ainda dá tempo de participar do sorteio da inscrição para o Circuito WRUN. Um Kit Luxo está em jogo. Clique no link no alto do blog para participar.
Boa sorte!

Comentários

  1. Lindo post!

    Sempre leio seu blog, mas desta vez me emocionei tanto que tive que comentar! Que a corrida a ajude imensamente, e eu estarei torcendo por ela aqui!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline.
      Fico feliz em saber que você curte os textos aqui do blog.
      Com certeza minha amiga irá ler seu comentário.
      Obrigado pela visita!
      Beijos

      Excluir
  2. Muito legal o reconhecimento André.
    Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Ah! Também me emocionei!
    Que esse seja só o começo de uma longa história da Marta com a corrida! E que saiba ela que já está conquistando um monte de torcedores por aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza ela já leu suas linhas, Renata. Eu, como amigo, estou na torcida pela regularidade dos treinos. Os benefícios para ela serão expressivos, além da clara felicidade decorrente da endorfina :-)
      Beijos

      Excluir
  4. oi amigo. que lindo texto ! obrigada. gostaria de dizer que só consegui vencer o câncer por dois motivos : corpo preparado em função das atividades físicas e o apoio incondicional de meus amigos. Agradeço de coração, a torcida da Aline e da Renata. Boas passadas para todos nós !!!! :-) bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Martinha,
      Era o mínimo que poderíamos fazer, diante do seu desafio. E no que eu puder fazer nesta sua nova fase farei.
      Beijos
      André

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Kayano 20 NYC

Segundo o Garmin Connect foram 771 km corridos em 105 treinos. Foi assim que larguei o aço no meu antigo Asics Kayano 20. Gostei tanto dele que dei um jeito de encontrar seu irmão siamês, criado exclusivamente para homenagear a Maratona de Nova Iorque de 2013. Após o cancelamento da prova em 2012, o retorno de uma das mais tradicionais provas de rua precisava ser cheia de pompa. E a Asics não brincou em serviço. Além de muito bonito, o tênis tem tudo o que preciso para continuar evoluindo até outubro: estabilidade e conforto.
Muito já foi dito sobre a importância (ou não) do tênis na vida de um corredor. Eu sou do time que acredita que um bom tênis faz a diferença, tanto que hoje eu aceito usar qualquer tênis para correr desde que seja o Asics Kayano. Dentre minhas teorias eu acredito que ele seja o tênis mais eficaz para corredores de pisada pronada e que pesem mais de 90 kg. Como já mencionei em outros posts sobre tênis, já tentei utilizar outros modelos sem muito sucesso. Alguns aca…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…