Pular para o conteúdo principal

RESENHAS: Revista Runners #53

LARGADA
A coluna largada e uma foto de uma corredora em Natal me fez lembrar a quanto tempo não vou ao nordeste. A parte boa é que com um pouco de atenção, ainda consigo correr uma das onze etapas do Cicorre em Recife. E por 15 reais.

TREINO
Sprint final e split negativo não são novidades, mas tentar dividir a corrida em três partes foi algo interessante. Mas a aplicabilidade desta estratégia em uma prova curta com os 10 Km não é animador, pois não há muito espaço para se trabalhar.

Correr com ritmo em torno dos 5'00"/km não é algo que eu possa dizer que faço com tranquilidade. Mas seria legal experimentar o plano a abaixo:
1. 3 km a 5'10"/km
2. 4 km a 5/km
3. 3 km a 4'40"/km
Fiquei com isso na cabeça ... 

JOGO LIMPO
A Patrícia Julianelli elaborou mais uma obra prima. De escrita leve, mas profunda este mês foi fundo na questão COMPORTAMENTO. Falar deste novo método de emagrecimento chamado detox foi mero detalhe, pois o que está em jogo aqui é a jornada nada saudável para se perder peso. Viver de um restrito e possivelmente oneroso cardápio, além de complicado pode ser desagregador realmente. Você acaba deixando de fazer coisas, ou encontrar com amigos por causa de um controle alimentar. 
O paradoxo está na proposta. Se esta tem como objetivo lhe proporcionar mais qualidade de vida deveria lembrar que a jornada é tão ou mais importante que o destino. Viver não deveria exigir extremismo, salvo em casos realmente excepcionais. Mas pensando bem, o que é a vida além de opções e afinidades? Quando decidi separar um tempo na minha agenda para mudar meu estilo de vida correndo, abandonei velhos hábitos e a reboque me afastei de vários amigos. Deixei a noitada. Diminuí meu consumo de bebida alcoólica. Durmo mais cedo. Para muitos, fui extremista. Tanto que ao encontrá-los ouço a famosa pergunta "ainda está correndo?". Por que eu pararia, meu Deus! Correr não é uma questão restrita a saúde. Tornou-se um hábito, ótimo hábito por sinal. Criou um novo estilo de vida, com direito a novos amigos, uma nova perspectiva (mais otimista) do mundo, com mais tempo para a família, menos televisão, com direito a viagens, conquistas pessoais e coincidentemente é ótimo recurso para se manter a forma e o peso sob controle. Dá para escrever mais um bocado sobre mudança de hábitos, mas o importante é termos consciência do preço da nossa decisão. Se a conta fechar, bom proveito.

A MAGIA DA CORRIDA
Este texto é para as pessoas que adoram crianças. Que assumiram o papel de super heróis e ícones na vida dos pequenos e que enxergam o esporte (em especial a corrida) como uma poderosa ferramenta de formação de caráter.
As corridas infantis são um pequeno ritual, para que rebentos experimentem o que nós da velha guarda já nos acostumamos a fazer, mas na Disney a coisa parece ganhar novas cores. Uma nova paginação. Imagine o sonho materializado de uma criança. Para reflexão. 

O EVEREST DE CADA UM
Vou começar com uma frase que li no facebook esta semana: "O mundo pode lhe inspirar, mas apenas você é capaz de se motivar". A coluna no pique trás a história de um cara que no auge dos seus 140 e tantos quilos resolveu revolucionar a própria vida. Com orientação médica mudou hábitos alimentares e o estilo de vida. Parou de beber e fumar. Hoje ele pesa METADE do peso e tem a corrida como estilo de vida. A esposa veio a reboque e deixou 30 e tantos quilos para trás também. 
Esta é uma entre muitas histórias de superação que cercam o mundo da corrida. Com certeza não foi fácil para eles, assim como não foi para mim. Dificilmente haverão mudanças na vida de uma pessoa sem que ela saia da zona de conforto, até porque o sabor da vitória está temperado com superação. Algo é deixado para trás neste processo de condicionamento físico-mental para que algo novo crie raízes dentro de nós, independente de termos superado 5 ou 50 quilômetros. O importante é saber se você tem o poder da transformação dentro de si, ou aguarda que o mundo mude ao seu redor. Este é um ensinamento importante não só para a corrida, mas para vida.
QUEM SOBE A LADEIRA?
O Iberê fala sobre a importância da ladeira. Apresenta três formas de se enfrentar a pirambeira, inclusive a forma com que enfrentei o Parque da Cidade.
Ladeiras trazem força e técnica, logo ficamos mais rápidos. Mas atenção, pois não é algo para se fazer sempre. O esforço deste tipo de treino é muito grande e precisamos tomar cuidado com possíveis lesões por conta dos excessos.
Se quiser mais detalhes deste tipo de treino, leia o post Rumo ao topo no site da Runners.

A MARCHA DO PINGUIM
Se você acha que te chamarão de diferente por você começar a correr e largar os maus hábitos, relaxe. Você precisa conhecer a história do Pinguim, fotógrafo profissional, que já clicou 28 maratonas enquanto as corria. Sim, com uma câmera profissional nas mãos e mesmo assim já foi sub-4h.
Treina ao meio-dia para aguentar os piores cenários. Acho que ele é um mutante.

GUIA DO TÊNIS
Ele tem sido generoso comigo, pois ratifica o uso do Kayano. Nesta edição não foi diferente, mas trouxe novidades. Para este período de treinos para maratona, onde o volume semanal supera os 50 quilômetros, temos o Asics Gel-Lyte 33. Para um volume um pouco mais baixo temos o Kayano, GT-2000 e GT-1000. Para contrapor minha veneração pela Asics, me permito admirar o Adidas Energy Boost, que tem dado o que falar. Mas a vida me ensinou algumas verdades. Na dúvida, vá ao posto Ypiranga. Se for correr, vá de Asics. Não estou dizendo que as outras marcas são ruins, mas que eu não vi motivos para abandonar os Asics. 
FORÇA CENTRAL
Acho que praticamente todas as pessoas acima dos 25 anos começam a correr para emagrecer. Melhor ainda se neste processo a barriga for detonada. A matéria trás informações interessantes sobre o poder da barriga na corrida e como perder a temível gordura abdominal.
Vou começar listando as coisas que eu sei sobre o core:
1. Mulheres devem ter no máximo 80 cm de cintura e homens 90 cm, para evitar doenças relacionadas ao sobrepeso e a obesidade.
2. Os treinos intervalados ajudam fortalecer os músculos, queimar mais calorias e definir a região abdominal.
3. O sal ajuda na retenção de líquidos, trazendo inchaço para região abdominal. Mas este é o menor dos problemas com o excesso de sal na alimentação.
4. Ter um abdome forte, trás mais equilíbrio, reduz o risco de lesões e nos permite correr mais rápido.
5. Não existe dieta milagrosa que defina uma barriga, mas alimentos que no mínimo não a deixarão inchada ou acumularão como gordura na sua cintura.
6. A ingestão diária de fibras evita a prisão de ventre, o acúmulo de gorduras e líquidos, além do inchaço. 
7. Musculação não seca a barriga, nem muito menos as aulas localizadas de abdominais sem o suporte de um exercício aeróbico.

Coisas que eu descobri sobre o abdome:
1. O estresse geral cortisol, hormônio que tem relação ao acúmulo de gordura na área abdominal.
2. Como qualquer músculo, o abdome não precisa ser trabalhado diariamente, pois precisa de descanso para sua recuperação.
3. Cumprir com a meta de beber dois litros de água diariamente ajuda na eliminação de toxinas, gorduras e líquidos! 
Além dos itens acima, temos algumas dicas importantes:
1. Frutas são importantes. Se não souber do que elas é capaz, seja ousado e prove diferentes frutas a partir de agira.
2. Proteínas é o principal item na recuperação muscular.
3. Dormir menos de seis horas afeta a produção dos hormônios reguladores do apetite. Aumentando a tendência de acúmulo de gordura no abdome.
4. O álcool retarda a utilização da gordura como combustível, até por ser calórico.
5. Refrigerantes são calóricos e o gás pode provocar inchaço abdominal
6. Produtos feitos com farinha refinada estimulam a produção de insulina, que contribui para o acúmulo de gordura abdominal.
7. Limão, cebola, salsa, hortelã, abacaxi e melancia são ótimos para reduzir a retenção de líquidos.

DESASTRES DE DIA DE PROVA
Quem mora no Rio sabe que o calor é uma possibilidade real em dias de prova em qualquer momento do ano. Então saber lidar com o calor é praticamente uma obrigação e saber abrir mão de recordes pessoais nos dias quentes uma ato de sabedoria. Concluir a prova de forma saudável deveria se tornar o objetivo, afinal melhor perder uma batalha do que a guerra.
O relato sobre a corredora que se deu mal é a prova de que a hipertermia não é um problema exclusivo dos iniciantes. Mesmo com cinco anos de experiência, ela passou aperto com o calor. As dicas de hidratação servem para todos nós. São elas:
1. Tenha certeza de beber ao menos dois litros de água no dia anterior a prova.
2. Tomar pelo menos de 250 a 500 ml de isotônico é importante para prevenir a perda de sais minerais.
3. Tomar de 150 a 300 ml a cada 15 a 20 minutos. 
4. Pare ao primeiro sinal de náuseas, tonturas ou falta de ar. Procure ajuda e uma sombra. Beba água e refresque-se.
Outro problema que assombra muita gente é a cãibra. É sabido que o excesso de esforço pode levar as cãibras, normalmente provenientes de um esforço acima do que os treinos proporcionariam. A matéria até sugere que o longão seja equivalente de 20% a 25% do volume semanal para fortalecer os músculos. A surpresa foi ler que a ausência de sal pode causar cãibras. 
O relato sobre a asma é emblemático para mim, pois sou asmático. A parte boa é que faz tempo que não tenho uma crise. Mesmo assim não tiro a bombinha da bolsa por nada neste mundo. Vai que...
Fazer um bom aquecimento antes da prova é essencial para mim, principalmente em dias frios. Na Asics Golden Four de 2012 eu cheguei a sentir falta de ar no aquecimento e nos primeiros quilômetros, mas passou.
Saber o que comer é muito importante que antes de uma prova. Alimentos eicos em fibra ou gordurosos devem ser evitados nos dias que antecedem a prova, a fim de evitar cólicas ou coisa pior durante a prova.
O último caso da reportagem fala sobre a hiponatremia. É um quadro provocado pelo excesso se água e por níveis muito baixos de sódio no sangue. Graças a Deus não é algo que possa acontecer com facilidade em provas curtas, mas não custa alertar sobre os cuidados com a alimentação antes e no dia da prova.
É isso. Espero que tenha gostado, pois foi uma revista que muito aproveitei.
Boas passadas!

Comentários

  1. "a jornada é tão ou mais importante que o destino"
    Sábias palavras, André! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Renata.
      Há muito tempo atrás eu conversava com um grande amigo sobre as palavras ambição e ganância. Elas são um divisor de águas na vida de qualquer pessoa. Uma faz bem, a outra trás consequências... cedo ou tarde em alguma área de nossas vidas.
      Interessante você resgatar esta frase neste "livro" que tive coragem de chamar de resenha :-)
      Obrigado pela visita.
      Boas passadas!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

Do jeito que dá

A crise realmente chegou para todos. Da mesma forma que Lelo Apovian relata (na matéria A corrida não pode parar, publicada recentemente no site da Runners World Brasil) que a vida não está fácil para quem vive da corrida, não está fácil para nós que desafiamos o orçamento do mês para encaixar eventualmente acessórios e inscrições nas despesas mensais. É preciso se planejar e saber quanto é quando gastar. Nestas horas relembro de informações cortadas nestes anos de corrida. Uma que se aplica bem a este momento foi dita pelo nosso melhor maratonista (na minha humilde opinião) de todos os tempos. Vanderlei disse que se preparava para participar em alto nível de suas provas em média num ano. Particularmente algo sensato até para nós amadores, já que a maioria das planilhas treino (genética ou não), sugerem oito semanas de treino para um prova. Além de bom adequado, fisiologicamente dizendo, faz bem para o bolso nos dias atuais. Muitas organizações sabendo que as pessoas serão mais criteri…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…