Pular para o conteúdo principal

Nas revistas de outubro – parte I

A edição de outubro da revista O2 por minuto não decepcionou e manteve o ritmo. Só existe uma palavra capaz de descrever o artigo do Marcos Caetano: magnífico. Coincidência, ou não eu preparava a atualização de um dos meus primeiros posts (vida de corredor) e abordei vários pontos mencionados pelo Marcos em nossa corrida diária por uma vida de mais qualidade.

Giampaolo Geraci, instrutor técnico de calçados da Mizuno disse que um tênis não precisa de 24 ou 48 horas de repouso para a borracha voltar ao formato original e que a troca de tênis é uma questão de higiene na reportagem Conservação a toda prova. Dificilmente esta declaração passará despercebida.

Não me recordo de ter lido uma matéria como a Acerte o passo (e o pace...). Utilizando as premissas informadas pelo Cesar Candido dos Santos podemos ter consciência de nossa condição atual e tentar elaborar um plano para superar nossos limites. Eu já matutava algum tempo sobre a importância dos treinos intervalados no meu desenvolvimento, mas não sabia como utilizá-los depois de seis meses de treino.

Nuno Cobra foi muito feliz em suas colocações na matéria A corrida e o sistema imunológico. O corpo humano realmente é uma máquina fantástica que apresenta falhas após muito maltrato, ou por questões especiais, como doenças herdadas. Como falo para os amigos mais próximos, fazer o certo é uma opção, pois todos os dias somos desafiados a tomar uma decisão. Independente do motivo, espero que você não deixa para decidir quando for tarde demais.

Por fim, as homenagens a maratona. Boa parte da revista trouxe histórias interessantes e reportagens com atletas que fizeram da maratona uma prova de tradição. Depois de seis meses, aind ame pergunto se um dia me prepararei para correr uma meia maratona. Hoje, não consigo me imaginar correndo 42 Km.

A Runners World Brasil só chega amanhã.

André e o tênis

Meu Asics Kayano está completando 400 Km. Pisoteado, molhado e enlameado começou a apresentar sinais de desgaste. Aquele maldito buraquinho em cima do dedão apareceu, mas nada como um pouco de algodão e super-cola para dar jeito nele. Ensinamentos de um mundo de improviso. Não ria de mim, pois o esforço tem uma razão. O sistema de amortecimento do tênis ainda está funcionando de forma impecável.

Mas aquele papo do tênis durar até 800 Km? Descobri que os testes de resistência são conduzidos com indivíduos com peso médio de 70 Kg. Apesar disso, o Kayano tem resistido com dignidade aos meus 93 Kg. Tá certo, com uma pequena ajudinha.

E o Mizuno? O Wave Creation 10 foi vendido. Uma salva de palmas ao Mercado Livre. Para seu lugar consegui um Adidas Sequence Supernova em uma liquidação. Resolvi testar outra marcar, pois a Asics está acima da crítica. A primeira impressão foi positiva. Fiquei surpreso com a estabilidade que ele proporcionou no asfalto. O amortecimento também agradou.

Adidas Verão

Iniciei com este treino um novo macrociclo para a Adidas Verão. Apesar da temperatura elevada a meta é tentar baixar novamente meu tempo. Espero ano que vém, com temperaturas mais amenas, me tornar um sub-50' nos 10K quando completar 1 ano de treino.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Do jeito que dá

A crise realmente chegou para todos. Da mesma forma que Lelo Apovian relata (na matéria A corrida não pode parar, publicada recentemente no site da Runners World Brasil) que a vida não está fácil para quem vive da corrida, não está fácil para nós que desafiamos o orçamento do mês para encaixar eventualmente acessórios e inscrições nas despesas mensais. É preciso se planejar e saber quanto é quando gastar. Nestas horas relembro de informações cortadas nestes anos de corrida. Uma que se aplica bem a este momento foi dita pelo nosso melhor maratonista (na minha humilde opinião) de todos os tempos. Vanderlei disse que se preparava para participar em alto nível de suas provas em média num ano. Particularmente algo sensato até para nós amadores, já que a maioria das planilhas treino (genética ou não), sugerem oito semanas de treino para um prova. Além de bom adequado, fisiologicamente dizendo, faz bem para o bolso nos dias atuais. Muitas organizações sabendo que as pessoas serão mais criteri…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…