Pular para o conteúdo principal

Nas revistas de outubro - parte II

Antes de falar da RW me sinto na obrigação de registrar o quão agradável é correr na orla de São Francisco. O visual é revigorante e o silêncio, a ausência de trânsito do início da manhã tornam este treino ainda mais agradáel.

Resolvi aproveitar uma promoção via site da Abril e fazer a assinatura da Runners World Brasil também. Fazer o que? Estou na pilha! Cuidando um pouco da máquina, pois o batente no trabalho está puxado.

A coluna No pique do Marcos Paulo Reis trouxe um ponto para reflexão interessante: a técnica para se correr. O assunto realmente é negligenciado pelos amadores iniciantes, mas fundamental para aqueles que anseiam por bater recordes pessoais. Para evitar uma crise maior de consciência, no treino de sábado procurei trabalhar mais os braços e para minha surpresa acelerei com mais facilidade. Os detalhes eu contarei em outro post.

A reportagem Vá de escada me apresentou aos Skyrunners. Que viagem. Definitivamente estou cada vez mais distante das academias (se você gosta, me perdoe). Com o treino nas escadas, conseguirei o reforço muscular que procurava para as pernas. Sinto que falta preparo para alongar as passadas. O músculo posterior não entende a mensagem que o cérebro manda para ele (ou tem mais juízo que o dono do corpo). Farei uma busca um pouco mais profunda para localizar planilhas de treino em escada, mas aproveitarei a dica para iniciantes. Tentarei executar dez séries de 10 andares, descendo de elevador para descansar. Mole, não?

A matéria Corra na faixa se fez interessante, pois o autor defende uma tese de que existe uma prova ideal para cada idade. Segundo ele, a melhor forma que tenho de me manter em forma é fazer da meia maratona minha prova padrão. 2011 lá vou eu!!! Será uma mudança bastante expressiva em nível de treinos e possivelmente reforço muscular para atuar nesta nova faixa de competição, mas vale tudo para se manter saudável e na finta com a Primeira Dama.

Na coluna corpo+mente descobri que sou um corredor, com antídoto. Sou criterioso e acredito que a regularidade é a forma mais rápida de se alcançar altos níveis de desempenho e não digo apenas no esporte. Profissionalmente, saber manter o ritmo de trabalho é muito mais expressivo do que os rompantes em momentos de crise. Mas esta é minha opinião, claro.

A matéria termina com um pequeno questionário e ganhei de brinde o seguinte diagnóstico: “Você provavelmente se cobra bastante, mas não coloca sua saúde em jogo. Você se esforça para ter um bom desempenho, mas consegue fazer isso de maneira sensata e ainda tingir um equilíbrio entre superação e diversão.”

O face a face entre veneno e antídoto mais pareceu um confronto entre o anjinho e o diabinho que carregamos em nossos ombros e murmuram indefinidamente em nossos ouvidos.

A coluna Leis do Asfalto é sempre tragicômica. As derrotas deste mês foram dignas de boas risadas e um alerta para aqueles que acham que certas coisas só acontecem com os outros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…