Pular para o conteúdo principal

Reaprendendo a respirar

Se você é novo por aqui, este post só fará sentido se eu avisar que treino apenas três vezes por semana. O primeiro dia é um regenerativo, o terceiro é de resistência e o segundo, ah o segundo, é onde as coisas acontecem. É o dia dos treinos de força e velocidade. É quando o coração e os pulmões são exigidos em níveis elevados. É onde a chapa esquenta.
O segundo dia sempre foi composto por treinos de tiros, com as mais diferentes distâncias e intensidades. Esta quinta semana de treinos foi marcada por um treino progressivo, onde a velocidade mínima era meu ritmo de meia maratona. Corre-se 200 metros, respira um pouco.  400 metros, outra parada. O mesmo com 600, 800 e 1000 metros. Fazia tempo que não via minha frequência cardíaca passar de 90%, muito menos bater em 98%! A grande lição vem sendo o foco na postura e na respiração, pois percebi que tenho respirado pouco! Como o ritmo lento das provas longas, perdi o hábito da respiração 3 por 2. Eu percebi que respirava, passava um instante em apneia e expirava. Funciona, quando você está numa corrida leve. Mas tendo que sentar a bota é complicado, pois a energia baixa rápido e o desempenho afunda como um barco furado. Eu comentei o assunto outro dia e volto a bater na tecla, pois é realmente relevante. Dependemos de oxigênio para correr, então respirar de forma eficiente é um diferencial.
Neste último treino me forcei a adotar a respiração 3 por 2 desde o aquecimento e o resultado foi óbvio. Até o ritmo da corrida leve foi superior ao dos últimos treinos. Quando concluí as duas séries de tiros progressivos fiquei super satisfeito por perceber que a diferença de ritmo entre o pace mais alto e o mais baixo foi de nove segundos, mostrando equilíbrio técnico e físico. A produção de oxigênio foi tão eficiente que eu corri quase 20 segundos mais rápido que a velocidade estipulada para o treino.
A respiração, apesar de ser um ato quase inconsciente, se trabalhado pode agregar valor a sua corrida. Dependendo do nível que você esteja vivendo, talvez não saiba que ela afeta sua técnica, postura e obviamente seu desempenho.
Boas passadas!

Comentários

  1. Oi André, ter a respiração eficaz ajuda muito mesmo na corrida, é importante se controlar e ficar de olho em como se respira, principalmente quando você está chegando no máximo do seu rendimento, pequenas mudanças e ajustes podem ser cruciais para continuar evoluindo.
    Bons Treinos
    Boa semana
    Bons KM
    JU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Ju.
      Tem um antigo ditado que diz que a diferença está nos detalhes. Espero retomar a técnica de forma permanente, pois será fundamental para voltar a correr rápido.
      Obrigado pela visita.
      Boas passadas!

      Excluir
  2. Gostei de saber disso, acho que vou correr com um cilindro de O2 na próxima etapa da Athena. ahahahahahaha

    Brincadeiras à parte, não resisti, notei esse lance da respiração na prova de domingo. Não senti dor lateral e meu rendimento foi muito melhor do que na última meia maratona. Faz todo sentido do mundo!

    Beijão, bons treinos, rumo ao melhor tempo nos 10k.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Drica,
      Jogar o oxigênio para dentro é algo que ainda está ao nosso alcance. O VO2 max é que temos que aceitar, pois é congênito. Fico feliz que a técnica também lhe esteja sendo útil.
      Estou confiante para este segundo semestre.
      Boas passadas!

      Excluir
  3. André, correr é um ato nato assim como respirar. Alterar o tamanho da passada, a respiração e até mesmo a pisada do pé, não são tarefas fáceis. Mas, com treino, a gente consegue sim. Acho que tudo isso interfere na biomecânica da corrida e pro bem.
    abraço e bons treinos
    Helena
    Blog Correndo de bem com a vida
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helena.
      Correr é algo tão natural que facilmente negligenciamos os cuidados que devem ser tomados para uma atividade física. Por ser simples, acaba-se confundindo com fácil. E para isso estamos aqui, fiéis escritores para deixar registradas nossas impressões ou transcrições para ajudar àqueles que por ventura esbarrarem em nossos blogs.
      Obrigado pela visita.
      Boas passadas!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Gel Cumulus

É o Cumulus! O tênis me obrigou a fazer uma homenagem ao velho humorista que tive a satisfação de conhecer na minha infância, quando os Trapalhões passaram por Recife. Mas Cumulus é o nome do meu novo parceiro de corrida. O Asics Cumulus é um tênis com ênfase no amortecimento, mas não tão caro quanto o Asics Nimbus ou o Asics Kayano. Teste de rua. O tênis é realmente impressionou, com um amortecimento realmente inesperado. Para quem lê pela primeira vez este blog, eu estou trocando os tênis com ênfase em estabilidade por aqueles com ênfase em amortecimento. Há algum tempo busco um bom ortopedista para diagnosticar uma dor, que acho ser na crista ilíaca (depois de muito procurar em mapas de anatomia), ao invés de passar simples anti-inflamatórios.  Eu defendo uma têse de que a dor seja consequência do impacto, tanto que enquanto usei o Adidas Cushion (amortecimento) ela diminuiu. Quando voltei para o Asics Kayano (estabilidade), assim como quando usei o Adidas Sequence ela se fez mais pr…

Você é um corredor iniciante, intermediário ou avançado?

A Runners de fevereiro (Ed. 28) começa com uma matéria muito interessante na seção Treino. A matéria Semanão fala sobre a importância dos ciclos no desenvolvimento do corredor e que tentar colocar em uma única semana todos os tipos de treino é algo realmente complicado, quando não, improvável de ser feito. A sugestão é adotar um intervalo de tempo maior para que possamos incluir todos os treinos necessários para nosso desenvolvimento. A idéia é boa, simples e de praxe a revista ainda apresenta sugestões para os treinos de qualidade. Mas o que mais me marcou na reportagem foi a forma como foi identificado o nível do corredor. É a primeira vez que vejo algo do gênero, então segue o registro:Iniciante: aquele que corre até 24 Km semanaisIntermediário: aquele que corre de 24 Km a 48 Km semanaisAvançado: aquele que corre de 48 Km a 64 Km semanaisComo você se vê? Sua quilometragem semanal será determinante para o desenvolvimento de sua capacidade como corredor, seja seu objetivo ganhar resi…

O segredo dos corredores quenianos

Passei a semana procurando informações sobre corredores quenianos. Achei matérias que justificavam o desempenho deles o fator genético, outros usaram os treinos em altitude (O Quênia está a mais de 2.000 metros do nível do mar) e por fim a dedicação. A matéria O SEGREDO DOS CORREDORES QUENIANOS de Javier Triana humaniza os feitos dos queniano, mostrando mais uma vez que somos fruto do meio. A necessidade mais uma vez faz o homem. Prova disso foi que o "britânico" Mo Farah, vencedor dos 10.000 metros e o Kiprotich de Uganda fizeram. Eles treinam no Quênia, no High Altitude Training Centre, a capital mundial da corrida em distância - veja reportagem na The Finisher.
Com um estilo de vida tão simplório, correr sempre foi algo necessário para cruzar distâncias. Como foi bem dito na reportagem, eram 10 quilômetros para ir para a escola e outros dez para voltar para casa. Assim como a bola está para as crianças brasileiras, a corrida está para as crianças quenianas. A especializaçã…