Pular para o conteúdo principal

Reaprendendo a respirar

Se você é novo por aqui, este post só fará sentido se eu avisar que treino apenas três vezes por semana. O primeiro dia é um regenerativo, o terceiro é de resistência e o segundo, ah o segundo, é onde as coisas acontecem. É o dia dos treinos de força e velocidade. É quando o coração e os pulmões são exigidos em níveis elevados. É onde a chapa esquenta.
O segundo dia sempre foi composto por treinos de tiros, com as mais diferentes distâncias e intensidades. Esta quinta semana de treinos foi marcada por um treino progressivo, onde a velocidade mínima era meu ritmo de meia maratona. Corre-se 200 metros, respira um pouco.  400 metros, outra parada. O mesmo com 600, 800 e 1000 metros. Fazia tempo que não via minha frequência cardíaca passar de 90%, muito menos bater em 98%! A grande lição vem sendo o foco na postura e na respiração, pois percebi que tenho respirado pouco! Como o ritmo lento das provas longas, perdi o hábito da respiração 3 por 2. Eu percebi que respirava, passava um instante em apneia e expirava. Funciona, quando você está numa corrida leve. Mas tendo que sentar a bota é complicado, pois a energia baixa rápido e o desempenho afunda como um barco furado. Eu comentei o assunto outro dia e volto a bater na tecla, pois é realmente relevante. Dependemos de oxigênio para correr, então respirar de forma eficiente é um diferencial.
Neste último treino me forcei a adotar a respiração 3 por 2 desde o aquecimento e o resultado foi óbvio. Até o ritmo da corrida leve foi superior ao dos últimos treinos. Quando concluí as duas séries de tiros progressivos fiquei super satisfeito por perceber que a diferença de ritmo entre o pace mais alto e o mais baixo foi de nove segundos, mostrando equilíbrio técnico e físico. A produção de oxigênio foi tão eficiente que eu corri quase 20 segundos mais rápido que a velocidade estipulada para o treino.
A respiração, apesar de ser um ato quase inconsciente, se trabalhado pode agregar valor a sua corrida. Dependendo do nível que você esteja vivendo, talvez não saiba que ela afeta sua técnica, postura e obviamente seu desempenho.
Boas passadas!

Comentários

  1. Oi André, ter a respiração eficaz ajuda muito mesmo na corrida, é importante se controlar e ficar de olho em como se respira, principalmente quando você está chegando no máximo do seu rendimento, pequenas mudanças e ajustes podem ser cruciais para continuar evoluindo.
    Bons Treinos
    Boa semana
    Bons KM
    JU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Ju.
      Tem um antigo ditado que diz que a diferença está nos detalhes. Espero retomar a técnica de forma permanente, pois será fundamental para voltar a correr rápido.
      Obrigado pela visita.
      Boas passadas!

      Excluir
  2. Gostei de saber disso, acho que vou correr com um cilindro de O2 na próxima etapa da Athena. ahahahahahaha

    Brincadeiras à parte, não resisti, notei esse lance da respiração na prova de domingo. Não senti dor lateral e meu rendimento foi muito melhor do que na última meia maratona. Faz todo sentido do mundo!

    Beijão, bons treinos, rumo ao melhor tempo nos 10k.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Drica,
      Jogar o oxigênio para dentro é algo que ainda está ao nosso alcance. O VO2 max é que temos que aceitar, pois é congênito. Fico feliz que a técnica também lhe esteja sendo útil.
      Estou confiante para este segundo semestre.
      Boas passadas!

      Excluir
  3. André, correr é um ato nato assim como respirar. Alterar o tamanho da passada, a respiração e até mesmo a pisada do pé, não são tarefas fáceis. Mas, com treino, a gente consegue sim. Acho que tudo isso interfere na biomecânica da corrida e pro bem.
    abraço e bons treinos
    Helena
    Blog Correndo de bem com a vida
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helena.
      Correr é algo tão natural que facilmente negligenciamos os cuidados que devem ser tomados para uma atividade física. Por ser simples, acaba-se confundindo com fácil. E para isso estamos aqui, fiéis escritores para deixar registradas nossas impressões ou transcrições para ajudar àqueles que por ventura esbarrarem em nossos blogs.
      Obrigado pela visita.
      Boas passadas!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por você passar por aqui.
Deixei sua opinião ou comentário sobre o tema. Uma boa conversa é sempre salutar.
Boas passadas!

Postagens mais visitadas deste blog

André e seu novo tênis: Asics Kayano 20 NYC

Segundo o Garmin Connect foram 771 km corridos em 105 treinos. Foi assim que larguei o aço no meu antigo Asics Kayano 20. Gostei tanto dele que dei um jeito de encontrar seu irmão siamês, criado exclusivamente para homenagear a Maratona de Nova Iorque de 2013. Após o cancelamento da prova em 2012, o retorno de uma das mais tradicionais provas de rua precisava ser cheia de pompa. E a Asics não brincou em serviço. Além de muito bonito, o tênis tem tudo o que preciso para continuar evoluindo até outubro: estabilidade e conforto.
Muito já foi dito sobre a importância (ou não) do tênis na vida de um corredor. Eu sou do time que acredita que um bom tênis faz a diferença, tanto que hoje eu aceito usar qualquer tênis para correr desde que seja o Asics Kayano. Dentre minhas teorias eu acredito que ele seja o tênis mais eficaz para corredores de pisada pronada e que pesem mais de 90 kg. Como já mencionei em outros posts sobre tênis, já tentei utilizar outros modelos sem muito sucesso. Alguns aca…

Asics, Fundação do Câncer e o GEL-Noosa TRI 10

A Asics e a Fundação do Câncer chegam ao terceiro ano de uma campanha, onde 10% da receita da compra de produtos da coleção Accelerate Hope será doada para a Fundação do Câncer. Pesquisando sobre o modelo do tênis envolvido na campanha descobri que este foi feito para pronadores como eu!
A Edição especial da série GEL-Noosa TRI 10 com cores comemorativas da campanha Accelerate Hope, além do visual, a nova entressola Solyte e a placa Propulsion Trusstic garantem melhor amortecimento e resposta mais rápida durante as passadas. A altura do calcanhar reduzida oferece mais performance com um contato mais eficiente.
O que eu sei sobre este modelo?
Praticamente nada. Um verdadeiro tiro no escuro. O blogueiro Victor Caetano deixou seu feedback sobre o modelo no Corrida Urbana. Vale a leitura. O que me chamou atenção foi o menor peso em relação ao Kayano, referência para quem tem pisada pronada (na minha humilde opinião).
O tênis é muito difundido entre triatletas e o cardaço elástico foi feito ju…

Rebuild

Umas das coisas que mais admiro nesta vida é a possibilidade de mudar as coisas. De desenvolver, criar, crescer. Uma das coisas que mais tenho receio nesta vida é o imponderável, pois ele é a pitada de improvável em nossos planos, mas como diria Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência. E assim vou eu após praticamente cinco meses sem colocar o tênis.
Sair hoje cedo (não tão cedo quanto nos velhos tempos) para meu primeiro treino do ano foi muito bom. Não aconteceu nada de novo ou inesperado. Trote leve por quarenta minutos, coração com frequência alta e algumas dores de um corpo há muito abandonado.
O céu de outono azulado e sem nuvens era mesmo de outros anos. Os poucos corredores que acordam cedo eram praticamente os mesmos. O que mudou? Tudo, pois a cada passo ficamos mais fortes, mais resilientes e capazes de buscar o melhor para nós e para àqueles que nos cercam. É a busca incansável pelo equilíbrio corpo/mente para viver de uma única m…